Usina de Letras
Usina de Letras
76 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60345 )

Cartas ( 21288)

Contos (13386)

Cordel (10358)

Cronicas (22276)

Discursos (3193)

Ensaios - (9712)

Erótico (13520)

Frases (48231)

Humor (19546)

Infantil (4823)

Infanto Juvenil (4173)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139333)

Redação (3115)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5807)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Sessenta -- 09/03/2009 - 07:35 (AROLDO A MEDEIROS) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Sessenta

Aroldo Arão de Medeiros



Se senta, não tem tempo para descansar.

Se está descansando, está trabalhando.

Tem dias felizes e dias tristes.

Hoje temos que dá-la um dos melhores dias de sua vida.



Sua maior virtude é ajudar o próximo.

Os parentes que o digam.

Não enxerga sogra, sogro, concunhado...

Enxerga somente as pessoas que fazem parte de sua vida.



Setenta está longe. Um dia há de chegar.

Tirará de letra, mesmo pouco lendo.

Se tenta chorar, fá-lo escondida.

Se tenta sorrir, mostra a todos.



Um dia conquistou o seu amor.

Não deu muito trabalho, porque o mesmo ele o fez.

Conquistar os parentes dele foi um pouco mais demorado.

Hoje todos a amam, principalmente quando ela está feliz.



Sessenta com cara de cinqüenta bem vividos.

Plástica nunca fez e diz que jamais fará.

Será que necessita? Aposto que não.

Não realçará a beleza que a acompanha.



Devemos ser mais compreensíveis com suas manias.

Elas fazem parte de sua vida.

Só dêem um pouco mais de sossego.

Que ela saberá retribuir com muito mais carinho.







Homenagem aos sessenta anos de vida de minha esposa



Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 16Exibido 663 vezesFale com o autor