Usina de Letras
Usina de Letras
69 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60373 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9718)

Erótico (13520)

Frases (48263)

Humor (19556)

Infantil (4831)

Infanto Juvenil (4181)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139380)

Redação (3120)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Ansiedade -- 20/10/2010 - 09:38 (Alexandre Medeiros) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
"Pisaram fundo no acelerador da cabeça

Inquieto, durmo pouco e afeto minha memória

Anoto tudo, portanto, antes que me esqueça

Vivo dias estranhos, sem nenhuma glória

Escrevo a receita da morte

Uma agonia toma conta de minha alma

Me alimento mal e não acredito na sorte

Há muito tempo, sedento de calma

Parece que a roda das coisas não gira

É preciso óleo na engrenagem da vida

Sem o controle da mente só pira

As pernas me levam numa rua sem saída

Cansado de tanto trabalho

Cansado da cara no espelho

De me ver e ser visto como otário

Decidindo os rumos de meu salário

Me sinto um mendigo bem vestido

Questionando uma vida sem sentido

Ansiedade sulfúrica corrói a certeza

Não decido, não ponho as cartas na mesa

Espero um milagre

Qual será a pílula contra esta ansiedade?"







Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui