Usina de Letras
Usina de Letras
79 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60346 )

Cartas ( 21288)

Contos (13386)

Cordel (10358)

Cronicas (22276)

Discursos (3193)

Ensaios - (9712)

Erótico (13520)

Frases (48231)

Humor (19546)

Infantil (4824)

Infanto Juvenil (4173)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139334)

Redação (3115)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5808)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->O caso complicado... O atestado de óbito! -- 18/10/2009 - 19:53 (Antonio Accacio Talli) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
O caso complicado...
Antonio Accacio Talli

Alex, um jovem de origem humilde e extremamente esforçado, que estudara com dificuldade e sacrifício – trabalhando de dia e estudando à noite –, conseguiu ingressar na faculdade de Medicina, realizando um sonho impossível.

Nas férias de julho, após seis meses de curso médico, foi para sua cidade no Estado do Rio e, como futuro mé­dico, passou a ser respeitado pelas famílias, pois se tornara um bom partido e, agora, idolatrado pelas moças.

Numa noite fria, o Doutor foi chamado para atender uma criança com febre. A única coisa que aprendera, até então, era tirar a temperatura corporal. Colocou o termômetro na axila do pequeno paciente e após três minutos fez a leitura – 40 graus C.

Apavorado e com a voz trêmula, falou aos pais – o caso é complicado e difícil, é melhor chamar o farmacêutico.



O atestado de óbito...
Antonio Accacio Talli

Na aula de medicina legal, o professor fala sobre os cuidados que o médico necessita para preencher um atestado de óbito, principalmente no item “causa da morte”.

Cita vários exemplos de atestados verídicos e esquisitos. No entanto, um chama a atenção de todos:

Causa da morte:
“Tosse... (E que tosse, hein!)”.


Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 0Exibido 776 vezesFale com o autor