Usina de Letras
Usina de Letras
48 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50861)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140903)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Carpe diem, viva o presente! -- 13/01/2012 - 02:57 (Elpídio de Toledo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Veja mais==>Carta escrita em 2070

Carpe diem, viva o presente!

texto

Para melhor assimilar a palestra

em vídeo de Eckhart Tolle,

que me chegou por mão destra,

faço versos — deixe que eu cole.



"Confortável presente,

desconhecido demais da conta;

este estar consciente

ao pensamento transmonta.



Coisa do simples, universal,

mas a cuca da gente

é só complicação banal,

não sabe ficar ausente.



E depressa nos pergunta

como fazer isso,

pensa que se desconjunta

se optar por sumiço.



A mente acha que tem algo

a fazer para estar confortável,

um esforço nobre, de fidalgo,

nada desconsiderável.



Não vê que o conforto no presente

se refere a "ser", algo mais importante

e anterior, essencialmente,

ao "fazer"— algo que mais nos encante.



Em verdade, você não pode alcançar

o momento confortável de consciência,

a consciência de "ser", se quer operar;

a todo "fazer" ele já é, por antecedência.



Este verdadeiro fundamento muito nos alivia,

nada precisamos fazer para tão somente Ser.

Isso não faz sentido pra mente, ela se transvia:

"tão somente Ser"... que é isso? Logo quer saber.



Ela põe-se a avaliar o que já tem,

pensa sobre o que pode perder

&
8212;não voltar a fazer o que já faz bem&
8212;

se seu lugar por um momento ceder.



Claro que não se trata disso.

Ficar confortável com o presente

não é à mente dar sumiço,

é ficar confortável com seu consciente.



É ficar confortável com quem você é agora,

com a essência de quem você é,

não uma estrutura pra pensar que lhe aflora,

mas algo mais vital, com sua boa-fé.



A vitalidade, de quem você é, está subjacente

a qualquer estrutura de pensamento,

ou a qualquer pensar que se movimente,

está sempre lá, a qualquer momento.





































































































Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui