Usina de Letras
Usina de Letras
58 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60373 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9718)

Erótico (13520)

Frases (48263)

Humor (19556)

Infantil (4831)

Infanto Juvenil (4181)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139380)

Redação (3120)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->PAREDES SABEM DEMAIS (ou ALONE) -- 13/12/2012 - 15:41 (Alexandre José de Barros Leal Saraiva) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Há silêncios corrosivos por detrás de cada parede.

Sob os pés daquele homem, voam pequenos grãos de areia

vermelha; tão vermelha quanto o suor de suas lágrimas.

Sedento, continua a subir, degrau a degrau, esta impiedosa

existência em linha reta.

Ah! se as paredes não apenas escutassem seus passos, mas também

lhe dessem conselhos de concreto e fé...

Elas, irmãs gêmeas das pedras à beira-mar,

que tanto sabem, mas só se revelam aos que possuem olhos surdos.

Queria, aquele homem, enfrentar a cegueira surda e luminosa

da solidão. Deu-se a ela e, alone, perdeu-se de deus!

Aquele homem que dias atrás era promessa,

hoje caminha no corredor estreito de paredes prescrutadoras.

Quantos pecados ainda lhe resta pagar?

Quantos outros ainda lhe é preciso pecar?????

Nada sabe, aquele homem.

Pouco se sabe daquele homem.

Ao final, são todos desconhecidos neste mundo misterioso

em que paredes sabem demais!

Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 21Exibido 446 vezesFale com o autor