Usina de Letras
Usina de Letras
43 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62137 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10331)

Erótico (13566)

Frases (50547)

Humor (20019)

Infantil (5415)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140778)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Agressão de "movimentos populares" contra arcebispo mexican -- 07/11/2006 - 09:36 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Nova agressão contra o cardeal Rivera, arcebispo primaz do México
Provocada por movimentos populares

www.zenit.org

CIDADE DO MÉXICO, domingo, 5 de novembro de 2006 (ZENIT.org-El Observador).- Este domingo, durante a missa de meio-dia, o cardeal Norberto Rivera Carrera, arcebispo primaz do México, foi vítima de uma nova agressão por parte de um grupo de simpatizantes de movimentos populares radicais.

Já durante a campanha política por ocasião das eleições em 2 de julho passado, o cardeal Rivera Carrera foi agredido por grupos ligados ao Partido da Revolução Democrática que apoiavam a candidatura de Andrés Manuel López Obrador.

Nesta nova agressão, em plena celebração litúrgica, na Catedral Metropolitana da Cidade do México, participaram aproximadamente 80 pessoas que se diziam estudantes e militantes de organizações não-governamentais, que exigiam que a Igreja não interferisse na política nacional.

O motivo da agressão, segundo seus próprio protagonistas, foram as declarações do cardeal Rivera sobre a intervenção da Polícia Federal Preventiva (PFP) no conflito que a Assembléia Popular dos Povos de Oaxaca (APPO) enfrenta com as forças federais que tentam desalojá-los do centro daquela cidade (Cf. Zenit, 31 de outubro de 2006).

Naquela ocasião o cardeal Rivera Carrera sublinhou que o uso da força pública em Oaxaca era uma opção necessária: «Finalmente para isso o governo tem a força pública, deve fazer valer os direitos dos cidadãos, não é para reprimir nem para esmagar um povo».

Com as mãos e rostos pintados de vermelho, simulando o sangue derramado durante a intervenção policial em Oaxaca -as organizações ligadas à APPO falam de três mortos, entre eles uma criança- insultaram o cardeal Rivera em plena homilia da missa dominical.

O pessoal da segurança da Catedral Metropolitana teve que intervir para pedir ordem aos manifestantes. Após fecharem as portas do recinto a missa póde continuar.



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui