Usina de Letras
Usina de Letras
62 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59664 )

Cartas ( 21255)

Contos (13325)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47209)

Humor (19420)

Infantil (4622)

Infanto Juvenil (3938)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138770)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Crepúsculo -- 01/05/2014 - 10:32 (ANA SUELY PINHO LOPES) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Por uma janela olhei e

Vi toda aquela natureza

Envolver-me

Penetrar meus olhos

Como que querendo mostrar

O infinito.

Minha atenção estava voltada

Para a mágica de beleza

Existente

Não conseguindo enxergar

Nas paredes, nos edifícios

Nada que descansasse ou que

Pelo menos, fizesse descansar

Minhas retinas tão cheias de rotinas.

Apagou-se a quentura das

Calçadas multiformes.

E o que restou de belo

Foi rastro de sol

No rosto da meia noite.



Alberto Said

*Homenagem ao autor e eterno amigo, sensível, visionário poeta Alberto Said, que se foi na alvorada de sua juventude, mas deixou poemas de caráter extremamente humano, sensíveis, que evocam a justiça social, a beleza da vida com muita pureza e simplicidade.

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui