Usina de Letras
Usina de Letras
90 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59659 )

Cartas ( 21254)

Contos (13324)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47208)

Humor (19419)

Infantil (4619)

Infanto Juvenil (3936)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138766)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->O FIM DE TODA A ESPERANÇA -- 04/02/2003 - 01:55 (Alexandre Marcos Seolim Rodrigues) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Hoje uma grande tristeza se abateu sobre mim. Cheguei a pensar em causas pessoais, que poderiam ter gerado esse sentimento. Porém, ao prestar maior atenção aos meios de comunicação, entendi que o veneno do baixo astral era injetado pelos acontecimentos do mundo.

Neste dia, tão triste, mais um pouco do brilho, que eu antes guardava nos olhos, foi-se embora. Notar a ânsia sanguinária de um homem, de completa inspiração imperialista, tomar conta de muitos inocentes desentendidos, é de um amargor imensurável. Ver que escoa como água no ralo, toda a vontade de lutar pela preservação ambiental, pela igualdade, pelo respeito entre as raças, pela soberania dos países, vivam o regime que viverem, tem sabor de derrota. Olhar para a palavra "PAZ" no papel e pensar que talvez ela não tenha sentido nenhum, causa até mesmo uma dor física.

Hoje eu olhei para as pessoas que me cercam, ouvi algumas opiniões e meus ombros acabaram por cair. Saber que alguns criticam o governo de seu próprio país, por lutar contra a fome e pela dignidade de seu povo, enquanto apoiam um governo sujo, que utiliza a publicidade jornalística para hipnotizar os menos sensíveis e conseguir apoio para uma maldita guerra, sem sentido como todas as guerras e qualquer ato de violência, pode apenas fazer chorar.

Por fim, hoje, quando notei que a morte de sete pessoas, participantes de uma experiência inútil, que não levará ninguém a lugar algum, comove mais o meu país, do que uma criança de apenas um ano ser assassinada por seu próprio pai, acometido pela peste social mundial, senti a esperança descer por minhas veias, partir, deixando-me solitário no inferno.

É isso o que acontece se meus olhos já não podem se preocupar com o sofrimento de alguém com quem não tenho nenhuma relação. Se o meu coração pode apenas guardar-se em seu casulo, sem faiscar calor sobre os que estão próximos. É isso o que acontece quando todos querem mais a morte do que a vida; mais guerra do que paz. A esperança simplesmente se cansa e então, o mal impera.
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui