Usina de Letras
Usina de Letras
82 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60367 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9716)

Erótico (13520)

Frases (48255)

Humor (19555)

Infantil (4830)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139367)

Redação (3119)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->Ética na guerra -- 31/05/2012 - 09:51 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Epígrafe

Veio uma Guerra e um tal de Luigi perguntou se podia ir, como voluntário.
Todos lhe fizeram um monte de cumprimentos. Luigi foi ao lugar onde davam os fuzis, pegou um e
disse: – agora vou matar um tal de Alberto.
Perguntaram-lhe que era esse Alberto.
– Um inimigo que tenho – respondeu –, um inimigo que tenho.
Os outros o fizeram compreender que devia matar inimigos de um determinado tipo, e não os que ele
queria matar.
– Eu, hein? – disse Luigi. – Estão achando que eu sou ignorante? Esse tal de Alberto é exatamente
desse tipo e desse tal país. Quando soube que vocês estavam em guerra contra eles, pensei: também vou,
assim posso matar o Alberto. Por isso é que eu vim. Alberto, eu o conheço: é um patife e, em troca de uns
poucos tostões, me fez fazer um papelão na frente de uma mulher. São histórias antigas. Se não acreditam,
conto tudo em detalhes.
Eles disseram que sim, que estava tudo bem.
– Então – disse Luigi – me expliquem onde está o Alberto, assim eu vou lá e luto contra ele.
Eles disseram que não sabiam.
– Não faz mal – disse Luigi –, eu vou dar um jeito. Mais cedo ou mais tarde vou encontrá-lo.
Os outros lhe disseram que era impossível, que ele devia fazer a guerra onde o pudesse, matar que
aparecesse, e que de Alberto ou não Alberto eles não sabiam de nada.
– Estão vendo Luigi insistia –, eu realmente preciso contar para vocês. Porque esse aí é um verdadeiro
patife e vocês fazem bem de guerrear contra ele.
Mas os outros não queriam nem saber.
Luigi não conseguia entender: – Desculpem, mas, para vocês, se mato um inimigo o se mato um outro
é a mesma coisa. Mas, para mim, matar algum que talvez não tenha nada a ver com Alberto não me agrada.
Os outros perderam a paciência. Alguém lhe explicou as muitas razoes para se fazer uma guerra e
como fazê-la, e que ninguém podia ir atrás de quem bem entendesse.
Luigi deu de ombros. – Se é assim –disse –, eu não fico.
– Fica e vai! – eles gritaram.
– Avante-marchar, um-dois, um-dois! – E o mandaram ir para a guerra.
Luigi não estava contente. Matava inimigos, assim, para ver se por acaso matava também Alberto ou
algum parente dele. Davam-lhe uma medalha por cada inimigo que matava, mas ele não estava contente. – Se
eu não matar Alberto – pensava –, terei matado muita gente à toa. – E sentia remorso.
Enquanto isso, recebia uma medalha atrás da outra, de todos os metais.
Luigi pensava: – Mate hoje, mate amanha, os inimigos diminuirão e também chegará a vez daquele
patife.
Mas os inimigos se renderam antes que Luigi tivesse encontrado Alberto. Sentiu remorso de ter matado
tanta gente à toa, e, quando chegou a paz, ele pôs todas as medalhas em um saco e vagou pela terra dos
inimigos para oferecê-las aos filhos e as mulheres dos mortos.
Acontece que, vagando, encontrou Alberto.
– Muito bem – disse –, antes tarde do que nunca. – E o matou.
Foi então que o prenderam, processara-no por homicídio e o enforcaram. Durante o processo ele não se
cansava de repetir que tinha feito aquilo para ficar em paz com sua consciência, mas ninguém quis ouvi-lo.

 

Consciência – Um General na Biblioteca.
Ítalo Calvino 2001.

 

Fonte:

ÉTICA NA GUERRA:
a conduta humanitária em conflitos armados.
Fabrício Martins Batista
SÃO PAULO
2007

 

Faça download abaixo para acesso ao texto completo

Filosofia da Guerra

ÉticanaGuerra.pdf
Visualizar Download
Filosofia da Guerra  1250k versão 2 03/11/2011 18:14 Res Bélica
Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 490Exibido 563 vezesFale com o autor