Usina de Letras
Usina de Letras
42 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50861)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140903)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Vazamento -- 23/01/2015 - 14:37 (Elpídio de Toledo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Clique com o dedo direito no meu nome,

a seguir, e escolha "abrir em nova janela" para ouvir essa música de minha

lavra e parceria com Eduardo Toledo. Minha gaita Honner dá o tchã,

enquanto a voz dele se evidencia.

===>>>Elpidio Toledo




texto







Em toda estatal havia sempre ladrão

por onde a “água” saía.

Mas agora caiu demais a vazão;

lá, larápio não mais se sacia.



Quero o texto bem no centro,

mas o sistema não me atende,

pra direita manda lá de dentro

e meu tempo pouco rende.



Isso depois de dois dias

que nos deixou na mão,

nossas minguadas poesias

ficaram sem divulgação.



Surge então novo extravasor,

agora de tempo, que me afanam;

ele sai devagarinho, sem dor,

adentro por onde me encanam.



Ao esfriar a moringa

é que vejo como errei,

creio que foi a pinga

que escondido tomei.



Eu pensei que era cano

onde eu tinha que entrar,

corrigi todo o engano,

agora posso divulgar.









































































Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui