Usina de Letras
Usina de Letras
55 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59666 )

Cartas ( 21255)

Contos (13325)

Cordel (10320)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9537)

Erótico (13486)

Frases (47214)

Humor (19420)

Infantil (4625)

Infanto Juvenil (3939)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138776)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5658)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->A mulher e o Complexo de Cinderela -- 07/05/2001 - 18:02 (ANNA WALESKA RODRIGUES MAUX) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos




“(...) Fomos criadas para depender de um homem e sentimo-nos nuas e apavoradas sem ele. Fomos ensi-nadas a crer que, por sermos mulheres, não somos ca-pazes de viver por nossa conta, que somos frágeis e delicadas demais, com absoluta necessidade de prote-ção .

(...) A um só tempo almejamos libertar-nos dos gri-lhões, e ter quem ( cuidando de nós) os recoloque” (Colette Dowling)



Mulheres, mulheres... negras, brancas, pálidas, tomem tenência! De 3 décadas prá cá, fizemos uma revolução no mundo feminino. De meras esposas parideiras, passamos a ser fêmeas que trabalham, geram, além de filhos, idéias, sustentam a casa, vão ao banco e em muitos casos, so-mos pai e mãe, empresárias, donas de casa e ufa, aman-tes!



Lendo o “Complexo de Cinderela”, fui percebendo, aos poucos, que adoramos a proteção masculina, porém, na maioria das vezes, nos “encostamos” nessa proteção e acabamos por boicotar e renunciar nosso lado profissional ou a `guerreira` que cada uma das filhas de Maria tem dentro de si.



Alguma coisa está mesmo fora da ordem. Sim, precisamos dos homens em nossas vidas, mas não estamos aprovei-tando o “ melhor da história”. Transformar nossos queridos em COMPANHEIROS DE JORNADA. Caminhar junto, for-mar sociedade no relacionamento e tentar garantir o lucro que esta possa nos oferecer.

Meu coração aperta. Será isto possível? Talvez. Se conse-guirmos vomitar toda a verdade que assombra nossos pio-res sonhos. Sinceridade. Jogar limpo. Abrir o bocão e APOSTAR. Não vai Ter castigo ou pai e mãe zangados. Não somos crianças!!!

Amigas, vamos nos unir! parar de competir entre nós mes-mas, procurar entender e aceitar a adúltera, a mãe solteira, a dona de casa (urgh), a biriteira, a que não gera filhos ou a que teve crianças demais.



Vamos brincar de ser mulher e em noites de lua, fazendo amor de vinho com nossos companheiros, abrir o coração e tentar dizer “- eu me amo, por isso luto. Talvez consiga te amar de verdade. Só preciso alimentar a loba que está es-condida dentro de mim”.



Queridas companheiras, vamos tecer, fio a fio, o manto que precisamos para aliviar esse frio imenso que, por vezes, castiga nossa alma. Somos mulher, não somos pecado.



Waleska Maux

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui