Usina de Letras
Usina de Letras
41 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62134 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10329)

Erótico (13566)

Frases (50541)

Humor (20019)

Infantil (5414)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140776)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Dia Internacional da Mulher -- 08/03/2007 - 11:07 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Em respeito, admiração e homenagem às nossas guerreiras.

= ESPECIAL = Dia Internacional da Mulher =

Por Flávia Pansica

O sexo feminino é fonte de inspiração para muitos compositores, artistas, cineastas e escritores. Não faltam são homenagens para a classe que causa tanta polêmica. Muitas pessoas - leia-se, os homens - não conseguem entender os efeitos dos hormónios femininos, das reações (até trágicas) de uma TPM ou dos mistérios de suas mentes, julgadas complicadas.
Justamente por conta de uma tragédia, anualmente podemos comemorar o Dia Internacional da Mulher.

O fato ocorreu em 1857, quando operárias de uma fábrica de tecidos em Nova Iorque resolveram protestar contra o salário muito inferior ao dos homens e a diminuição da carga horária de trabalho de 16 horas por dia para 10 horas. Como punição, essas militantes foram trancadas e queimadas, terminando com mais de 100 funcionárias mortas. Em 1910, durante uma conferência internacional de mulheres, em Copenhague, na Dinamarca, como forma de homenagear essas memoráveis guerreiras, foi criado o Dia Internacional da Mulher.

Na linha do tempo: As grandes conquistas femininas.

Calendário feminino

1914: Eugênia Moreira, primeira jornalista de que se tem notícia, aos 16 anos escreve artigos em jornais afirmando que "a mulher será livre somente no dia em que passar a escolher seus representantes";

1919: É construído o primeiro monumento brasileiro a uma mulher - um busto, homenagem feita à Clarisse índio do Brasil, que morreu vítima de violência urbana, no Rio de Janeiro;

1928: As mulheres conquistam o direito de disputar oficialmente as provas olímpicas. O Barão Pierre de Coubertin - criador das Olimpíadas da era moderna e severo opositor à participação feminina - pede demissão do cargo de presidente do Comitê Olímpico Internacional;

1932: O Governo de Getúlio Vargas promulgou o novo Código Eleitoral pelo Decreto nº 21.076, garantindo finalmente o direito de voto às mulheres brasileiras;

1948: A holandesa Fanny Blankers-Keon, 30 anos, mãe de duas crianças, consagrou-se a grande heroína individual das Olimpíadas, superando todos os homens. Arrebatou quatro medalhas de ouro no atletismo;

1962: O presidente João Goulart sanciona a Lei n° 4.121 que ampliou os direitos da mulher casada no Brasil;

1974: Izabel Perón torna-se a primeira mulher presidente;

1977: A escritora Rachel de Queiroz torna-se a primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras;

1985: Surge a primeira Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher - DEAM, em São Paulo;

1994: Roseana Sarney é a primeira mulher eleita governadora de um estado brasileiro: o Maranhão. Foi reeleita em 1998.
( Fonte: www.mulhergoverno.gov.br )

Mulheres inesquecíveis: Cinco grandes personalidades femininas.

Coco Chanel = Ela mal havia acabado de sair de um orfanato no interior da França quando seu jeito despojado de se vestir já anunciava uma das maiores mudanças ocorridas no guarda-roupa feminino em todos os tempos. Devolveu às mulheres a liberdade de movimentos e aboliu os espartilhos, os vestidos com armações e os cabelos postiços, deixando-os na altura do pescoço (daí surgiu o famoso corte Chanel). Em pouco tempo, seus modelos fizeram moda e Coco Chanel tornou-se uma das estilistas mais famosas em todo o mundo. E mais, numa época em que as mulheres deviam submissão a seus pais e maridos, ela foi empresária de sucesso e conquistou independência financeira, principalmente, após a criação do perfume Chanel nº. 5, que vendeu milhões de frascos. Isso sem contar que viveu abertamente com os homens que amou, sem jamais se casar. Coco morreu em 1971, com 87 anos de idade;

= Diana Spencer = Quando se casou com o Príncipe Charles, em 1981, lady Diana Frances Spencer tornou-se Princesa de Gales e uma das mulheres mais polêmicas e amadas do século XX. Seu trabalho humanitário e sua agitada vida pessoal a transformaram em um das personagens mais procuradas pela imprensa, fama que acabou provocando sua morte, em um acidente de carro. Seu casamento com Charles e sua permanência na família real não duraram muito: no dia 29 de fevereiro de 1996, ela anunciou ter aceitado o divórcio. Sua pensão foi fixada em 23 milhões de dólares, mais de 600 mil por mês. Após quase um ano mais tarde, sua vida terminou;

= Indira Gandhi = A índia foi dominada pela Inglaterra por mais de um século, até sua independência, em 1947. A ascensão política de uma mulher, Indira Gandhi, ao mais alto cargo na mais populosa democracia do planeta foi especialmente significativa para as mulheres indianas, que tradicionalmente eram subservientes aos homens. Além disso, Indira serviu de inspiração para muitas outras mulheres em países de Terceiro Mundo e deu início ao movimento pela participação da mulher na política. No dia 31 de outubro, Indira foi assassinada por dois dos seus próprios guardas de segurança quando passeava pelo jardim de sua casa;

= Joana D´Arc = Não existe dúvida entre os historiadores de que Joana D`Arc é a mais famosa das guerreiras francesas na história européia. Embora jamais houvesse aprendido nada sobre guerra, ela demonstrava um talento militar incomum no campo de batalha e sua coragem motivava as tropas como nenhum homem jamais havia conseguido. Joana justificava isso afirmando que era guiada por santos e anjos, cujas visões a acompanhavam o tempo todo, no campo de batalha e fora dele. Mas ninguém acreditava nisso, alegando que ela se utilizava de feitiçaria. Capturada pelos ingleses, foi considerada bruxa e queimada numa fogueira. Depois de sua morte, durante a qual deixou um raro exemplo de luta por seu rei e por seu país, muitas opiniões mudaram e o próprio Vaticano reconheceu seus contatos com os espíritos divinos e acabou por canonizá-la;

Madre Teresa de Calcutá = Entre as mulheres do século XX, Madre Teresa de Calcutá destacou-se de modo inconfundível entre aquelas que dedicariam sua vida a distribuir amor e compaixão aos sofredores. Essa vocação missionária a colocou entre as mulheres mais conhecidas e admiradas da segunda metade do século XX. Depois de anos de dedicação, Madre Teresa fundou, em 1948, a Ordem das Missionárias da Caridade, em Calcutá, na índia. Na ordem, que dirigiu com suas características de tolerància e respeito, distribuiu ajuda e amor a pobres de todo o mundo, o que lhe valeu, em1979, o Prêmio Nobel da Paz. Após sérios problemas de saúde, em setembro de 1997 Madre Teresa faleceu.

(Fonte: "Marias - A Jornada Heróica de 50 Mulheres que Fizeram História", de Lara Braun e Eduardo Castor Borgonovi.)

SALVE o 8 de Março de 2007!


Obs.: Texto extraído de www.reservaer.com.br/. "Homem é Fusca, mulher é Porsche!" (dá um belo título para livro de auto-ajuda...) Um beijão carinhoso na bochecha de todas as mulheres do mundo! (F.M.)






Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui