Usina de Letras
Usina de Letras
46 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62137 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10331)

Erótico (13566)

Frases (50547)

Humor (20019)

Infantil (5415)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140778)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Fragmentos de uma viagem a Israel -- 26/03/2007 - 16:18 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
"Massada. Como fortalezas, as cidades resistem. Aqui, no ano 72, mil judeus se mataram para não cair nas mãos dos romanos. Cervantes narra algo parecido na pela Numància. Nesta cidade celta-ibérica, 200 anos antes de Massada, todos também se mataram para não cair nas mãos de Scipião. Como Stalingrado, as cidades resistem. Há que resistir.
O diabo é que os inimigos não estão mais fora, mas dentro de nossos muros, de nossas casas.
Hoje subimos de teleférico para Massada. O sangue de ontem vira turismo hoje".

*

"- Onde está o muro construído por Sharon para interditar os palestinos?
- Não é muro, alguém explica, é muro de proteção . Depois de sua construção, os atentados diminuíram 80%".

*

"Curiosa conivência de fronteiras. O guia nos diz que, de um lado e outro, judeus e árabes se vigiam e dialogam através de binóculos. No tédio da vigília, o jordaniano, pelo binóculo, flerta com a soldada israelense, pedindo que ela levante a blusa e mostre os seios. Ela sinaliza para ele baixar primeiro a calça. Ele, pressuroso, obedece. E ela, atrás do binóculo, faz um sinal com o polegar pra baixo, como quem diz é pequeno, não funciona ".

*

"Efraim conta: o milionário americano manda dizer antes de chegar a Israel que quer contratar seus serviços de guia. Mas tem que providenciar uma limusine preta e tirar todoso os assentos. Não tem problema , diz Efraim. O milionário acrescenta que o guia deve também vestir-se de preto, com sapatos pretos de verniz. Não tem problema , diz Efraim. O milionário, todo de preto, desembarca com dois cães pretos enormes, uma pasta misteriosa e manda tocar para o deserto. Chegam, saem do carro preto. A situação está preta. Chegando a uma montanha de pedra, o milionário abre a pasta preta, tira um saco de cinzas de sua mulher morta. Era o desejo dela.
Enquanto lançava as cinzas no deserto, os cães, lembrando de sua dona, ganiam para a eternidade".


Affonso Romano de Sant Anna, in "Fragmentos de uma viagem a Israel", Correio Braziliense, 25/3/2007, Caderno C, pg. 8.






Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui