Usina de Letras
Usina de Letras
42 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62134 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10329)

Erótico (13566)

Frases (50542)

Humor (20019)

Infantil (5414)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140776)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Forças Armadas: último bastião da democracia -- 12/04/2007 - 09:04 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
FORÇAS ARMADAS SÃO O ÚLTIMO BASTIÃO NA DEFESA DA DEMOCRACIA

por Aluízio Amorim

Só não vê quem não quer. Essa greve-motim dos controladores da Aeronáutica foi insuflada pela CUT. Isto é um movimento político que busca conspurcar as Forças Armadas através da cooptação promovida da bandalha sindicalista e que pretende colocar a Nação brasileira de joelhos a seus pés.

Finalmente, e em boa hora, a Folha de São Paulo trouxe nesta sexta-feira uma matéria em que oficiais denunciam a manobra da CUT, o braço armado de agitação política do PT. Aliás, esta seria a matéria que deveria ser a manchete do jornal. Mas não foi.

Editores provavelmente simpatizantes do modus operandi petista fizeram o jogo baixo e rasteiro dos sindicalistas que, debochadamente, "pedem perdão" à sociedade brasileira depois de humilhar centenas de usuários do transporte aéreo cassando-lhes o direito de ir e vir consagrado na lei. Transformaram a súplica dos amotinados pelo perdão como destaque do noticiário.

A greve-motim foi de uma irresponsabilidade e uma soberba dos sindicaleiros que nunca se testemunhou "neste país", com a agravante de que foram acoitados pelo Presidente da República. Não fossem os militares peitarem o Governo, conforme atesta reportagem da Veja desta semana, o país já teria sucumbido à ditadura da República Sindicalista.

Do ponto de vista jornalístico, sem dúvida, a manchete da Folha teria que ser:
Militares denunciam manobra da CUT, ou coisa similar e, no seu editorial o jornal tinha o dever de chamar a atenção para esse fato gravíssimo que ameaça por em jogo as instituições democráticas.

E tem mais: as Forças Armadas constituem-se neste momento o último bastião de luta pela preservação da democracia e, sobretudo, da ordem, do respeito à lei e da segurança dos cidadãos.

Tenham certeza os chefes militares, os quais têm demonstrado lisura e profissionalismo, que a Nação continua confiando nas Forças Armadas no seu manifesto respeito ao estado de direito democrático.

Enganam-se aqueles que pensam pretendo fazer coro com as viúvas da ditadura militar ou com quem ouse sonhar com quarteladas. O que postulo, como de resto todos os democratas brasileiros, é - repito - a ordem e o respeito à lei. Entretanto, o governo petista não sonega só a segurança do sistema de controle aéreo, mas a necessária paz social, haja vista a escalada de violência que já cobre todo o território nacional.

Há uma crise de autoridade provocada estranhamente pelas próprias autoridades! Tal fato cria um ambiente de permissividade que solapa as instituições do Estado e promove a desordem. Tirante qualquer ilação baseada nos delírios de teorias conspiratórias o fato é que as ações atabalhoadas do governo, desde os escàndalos que marcaram o final do primeiro mandato de Lula, parecem obedecer a um planejamento estratégico que tem em mira o aparelhamento de todas as esferas do poder público e da própria sociedade civil em proveito da perpetuação petista no poder. O sistema de controle de vóo não escapou do intento do petismo, mas pode ter sido a gota d água.

O açodamento com que esse planejamento foi levado a efeito pela CUT na sua articulação com os controladores de vóo acabou criando uma situação de crise. Não de crise militar, mas de governo. Neste caso, o equilíbrio e o profissionalismo evidenciado no àmbito castrense credenciam, de forma indubitável, as Forças Armadas, neste momento, como a derradeira instituição fiadora do estado de direito democrático.

http://oquepensaaluizio.zip.net/

Publicado em 09/04/2007



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui