Usina de Letras
Usina de Letras
35 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62126 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22528)

Discursos (3238)

Ensaios - (10326)

Erótico (13566)

Frases (50535)

Humor (20019)

Infantil (5413)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140775)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Sodoma 3 x 3 Bíblia -- 14/06/2007 - 16:15 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Sodoma 3 x 3 Bíblia

Félix Maier

Lembrando rapidamente as mais recentes competições vistas em nossa Terra dos Papagaios:

- Roma: 1,2 milhão de católicos na missa de canonização de Frei Galvão
- Bíblia: 3 milhões de evangélicos na Marcha para Jesus no dia de Corpus Christi
- Sodoma: 3 milhões de GLS na parada do orgulho gay

Se os católicos perderam de 3 a 1 para os sodomitas, não custa lembrar que os evangélicos, no dia de Corpus Christi, já haviam garantido o empate da partida: 3 x 3. Com tendência a dar uma goleada já a partir do próximo ano, pois o número dos evangélicos é o que mais cresce no Brasil, enquanto que o número de católicos está praticamente estacionado, se não encolhendo. Não sei qual o crescimento do número de gays no País, pois os movimentos de defesa do orgulho boiola não fornecem tais números, nem o IBGE.

Números à parte - pois todos sabem que esses movimentos inflam seus próprios números -, quem sabe, a salvação do Brasil não está nos evangélicos, que crescem ano a ano, em níveis islàmicos? Além de terem mais contato com a Bíblia e transmitir os ensinamentos da Sagrada Escritura aos filhos com muito mais rigor que os católicos, há outra vantagem, talvez, de o Brasil se tornar uma população de maioria evangélica no futuro. Afinal, os países protestantes foram os que mais se destacaram no Ocidente, segundo comprovação de Max Weber (A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo) e de Alexis de Tocqueville (A Democracia na América). Ambos observaram que a aliança entre o duro trabalho, a disciplina rígida dos cidadãos e a economia de mercado (mais aceita entre a vertente protestante do que entre católicos, mais propensos ao patrimonialismo), mesclada com a liberdade religiosa, levaram países a se tornarem potências económicas, como a Grã-Bretanha, a Alemanha e os EUA, deixando os países latinos (Itália, Espanha, Portugal, Brasil) comendo poeira. O evangelista RR Soares, da Igreja Internacional da Graça, está aí, a postos, para garantir nosso ingresso no G-9. Aliás, não sei por que o presidente Lula ainda não o convidou para ser nosso ministro da Saúde, já que ele consegue realizar tantas curas de paralíticos em uma única sessão de reza...

Alguém poderá objetar que os "tigres asiáticos" não são protestantes. Certo. Mas também é certo que esses países cresceram rapidamente nas últimas décadas porque lá existe uma disciplina rígida entre a população só encontrada, no Ocidente, entre os anglo-saxões. Basta lembrarmo-nos dos burocratas daquela parte do mundo, o que fazem quando são pegos com a mão num saco de dinheiro sujo: suicidam-se! No Brasil o hariquiri é muito diferente: os políticos corruptos são reeleitos com votações espetaculares. Foi só aplicar nos países asiáticos um "choque liberal" (livre mercado, livre expressão do pensamento e liberdade religiosa) - ou seja, o salutar CAPITALISMO - para que rapidamente entrassem num nível de vida só visto no Primeiro Mundo, a exemplo do que ocorreu com a Coréia do Sul, Taiwan, Hong Kong etc.

Depois da Guerra, a Coréia foi dividida pela "guerra fria" entre Norte e Sul, cada país então com um número de população semelhante e um PIB também parecido. Hoje, a capitalista Coréia do Sul é trinta vezes mais rica do que a comunista Coréia do Norte, provando que não existe saída para o enriquecimento da maioria da população senão com trabalho duro, livre empreendimento, liberdade de expressão e liberdade religiosa. De preferência, também com menos impostos. Um Estado comunista só iguala as pessoas na miséria, como ocorre em Cuba e na Coréia do Norte.

E a China? Também não é evangélica... Ora, a China está se desenvolvendo tão rapidamente nos últimos anos exatamente por isso: embora tenha ainda um sistema de governo fechado, com a existência de um partido único, o Partido Comunista Chinês, sua economia se abre cada vez mais ao mundo, não deixando dúvidas de que por volta de 2030 ou 2040 venha a se tornar a primeira economia do planeta. Não devido à "Revolução Cultural" e ao "Grande Salto para a Frente" de Mao Tsé-tung, mas devido a uma coisa simples ainda longe de se estabelecer nesta nossa triste e trágica tropicália: CAPITALISMO!

Chega de mercantilismo à la Marquês de Pombal em nosso País, em que empresários e governo confundem capitalismo com patrimonialismo, misturando o público com o privado, de modo a perpetrar toda sorte de falcatruas para desviar dinheiro para o próprio bolso. Para que se realize um choque liberal, quem sabe não é a hora de já chamar os evangélicos para tocar a obra?

O problema é saber que evangélicos chamar, pois houve bispos e pastores envolvidos com o escàndalo do "mensalão", além de outros pegos com dólares furtados dos fiéis, nos EUA, a exemplo do casal Hernandez, da Igreja Renascer.

E o rabino? Quem se habilita a chamá-lo também para a urgente obra em nosso País? Afinal, quem mais entende de capital é judeu, ou não é?



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui