Usina de Letras
Usina de Letras
60 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59372 )

Cartas ( 21242)

Contos (13201)

Cordel (10310)

Crônicas (22227)

Discursos (3164)

Ensaios - (9483)

Erótico (13492)

Frases (46841)

Humor (19336)

Infantil (4507)

Infanto Juvenil (3804)

Letras de Música (5490)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138490)

Redação (3063)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2428)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5580)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Fernando, na Tabacaria... -- 16/07/2020 - 18:23 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.
Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é
(E se soubessem quem é, o que saberiam?),
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,
Para uma rua inacessível a todos os pensamentos,
Real, impossivelmente real, certa, desconhecidamente certa,
Com o mistério das coisas por baixo das pedras e dos seres,
Com a morte a pôr humidade nas paredes e cabelos brancos nos homens,
Com o Destino a conduzir a carroça de tudo pela estrada de nada.

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 24Exibido 51 vezesFale com o autor