Usina de Letras
Usina de Letras
17 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62153 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13567)

Frases (50555)

Humor (20023)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140788)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6177)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Outras medalhas devolvidas -- 26/09/2007 - 09:29 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Recife,14 de setembro de 2007

Exc. Sr Ten-Brigadeirdo-Ar Junit Saito - Comandante da Aer
Exp. dos Min.bloco"M", 8º andar
Assunto: devolução de medalhas
Anexo:Medalha de Bronze,
Medalha de Prata,
Medalha de Ouro,
Medalha Bartolomeu de Gusmão,e
seus respectivos diplomas

Cumpre-me o doloroso dever de devolver a V. Exa. o material constante do anexo por acreditar-me impotente diante da atual situação aviltante que sofre nossa querida Pátria. Por que deter em meu poder quatro medalhas, cinco placas alusivas à minha atuação como militar, uma placa pela criação do Dia do Especialista e dois troféus recebidos como Graduado Padrão, se nada posso fazer para deter os Vendilhões da Nação Brasileira?

Defender a Pátria diante de qualquer situação, até com o sacrificio da própria vida, foi o que eu jurei à minha bandeira no dia 24 de maio de 1958, na Base Aérea do Recife.

Não me acho dígno de possuir tais comendas porque sou totalmente diferente das autoridades que vêm recebendo, conforme eu vejo através da televisão. Com toda vênia que V. Exa é merecedor, não pude deixar de indignar-me ao ver pela Internet o Min. da Defesa envergando o uniforme militar que eu enverguei com todo brio, por 35 anos.

No Dia Sete de Setembro, conforme faço todos os anos, hasteei a Bandeira Nacional em minha sacada, sob os acordes do Hino Nacional e me pareceu vê-la triste, sofrida diante da impunidade dos crimes que vêm praticando contra ela. Onde está o "brava gente brasileira, longe vá temor servil, ou ficar a Pátria livre, ou morrter pelo Brasil"?

Não julgue V. Exa o meu ato como de rebeldia, julgue-me como um brasileiro, militar e muito patriota, ainda que seja difícil sê-lo. Ontem, 12 de setembro de 2007, ao ver na TV o resultado da votação do escàndalo do senado, não pude fugir do sentimento de revolta que bradou em meu velho peito e, ato continuo, fui até o quadro de medalhas e placas e retirei aquelas as quais estou devolvendo, com o respeito que V. Exa se faz merecedor. Não quero aqui, listar a série infindável de escàndalos, a deixo para a televisão e demais mídias, sem falar no sentimento de revanchismo que estamos sofrendo. Sei que este meu brado ecoará sozinho como se f ora no deserto, mas resta-me o sentimento do dever cumprido. Com o respeito à disciplina e à hierarqui que sempre nutri, aqui fico acreditando, ainda,na Ordem e Progresso, frase emblemática que adorna o nosso Pavilhão, auriverde Pendão da Esperança.Certo da atenção que V. Exa dará ao caso, venho reiterar os meus princípios de respeito para com a disciplina, hierarquia e às autoridades constituídas e encerro com a "máxima militar" que diz: toda ação ou omissão contrária ao dever militar constituem transgressão e eu jamais consegui ser omisso.


Ignácio da Costa Guimarães
Boa Viagem-Recife-Pe


Obs.: Triste Brasil! Triste América Latrina! (F.M.)





Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui