Usina de Letras
Usina de Letras
77 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59659 )

Cartas ( 21254)

Contos (13324)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47208)

Humor (19419)

Infantil (4619)

Infanto Juvenil (3936)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138766)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->O menino -- 08/03/2003 - 20:34 (Aparecida Nunes Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
O menino



O menino de rosto bonito se olha no espelho. Passa o gel e arrepia os cabelos. Passa mais gel. Olha se a roupa bonita está combinando. Passa o perfume de homem que a mãe lhe comprou. Confere a carteira e vê se o dinheiro vai dar prá passagem, pro refrigerante e o pro sanduíche. Na mesma carteira, vê se ainda tem camisinha. Pronto! O mundo lhe espera!

O menino de corpo de homem desfila por entre os corredores da vida. Mata de inveja aos que se descuidaram e deixaram crescer a barriga. Nunca vai deixar que isso lhe aconteça. Mesmo que “nunca” seja tempo demais. Morre de inveja dos que são maiores ou melhores que ele. Ainda será como eles. Igual a eles, não...Melhor que eles!

O menino que quer ser homem faz também poesias. E as recita a quem se julga sonhador. Fala de coisas que ninguém entende. Mas, o que importa? Seus sentimentos desordenados o deixam quase louco. E precisa falar sobre isso. Expõe seus pensamentos em versos sem rima e sem melodia. Os que dele gostam aplaudem sua intenção. Ele vai se encontrar...

No banheiro de seu quarto, o menino olha as revistas. As revistas proibidas... A água que cai do chuveiro não acalma seus hormônios. E a necessidade do menino é a mesma necessidade do homem... Não precisa entender. Seu corpo arde no fogo que não queima. Solitário, chora a falta de uma fêmea... É um animal...Queria alguém no cio.

O menino agora é internauta. Viaja pelos sites dos provedores, buscando não sabe o quê. Baixa músicas que ninguém ouve. Instala programas que não entende. Descobre jogos “doidos”. Entra nos “chats”, aumenta a idade e se diz engenheiro. Abre os arquivos que contém vírus... Nossa! O mundo pode ser virtual...Mas a bronca do pai será real.

O menino “sarado” aumenta sua massa muscular. Alimenta-se naturalmente. Cuida do corpo. Mas... Usa anabolizantes... Está se matando...E acha que é o certo. O agora é o que importa. É um “bombado”? E daí? Os outros também são... Não pode ficar prá trás. Só as três horas de academia não bastam. Quer mais. Tem que ser o melhor!

O menino “doidão” fuma agora um cigarrinho. Atrás do muro da escola.. O mundo não o entende. Ele não entende o mundo. Não está sozinho. A turma está com ele. A turma agora é seu mundo. A turma que debocha do engasgar com a fumaça. Faz parte! O mundo lhe cobra muito mais.

A briga com os pais irritam o menino. Por que cobram tanto? Por que falam tanto? Por que tanto “não”? Que o deixem em paz! A paz que busca na música barulhenta. A paz que enxerga no poster da caveira. A paz que retira do copo da cerveja bebida escondida. A paz que encontra no cigarro da maconha. A paz que o mundo também não quer dar.

Pelas ruas do mundo circulam os meninos da vida. Juntos... Isolados... Loucos... Enlouquecidos... Não estão perdidos... Apenas não se encontraram.





Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui