Usina de Letras
Usina de Letras
247 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62152 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13567)

Frases (50555)

Humor (20023)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140788)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6177)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->O orgulho que dá esta estudantada! -- 04/12/2007 - 10:25 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
O orgulho que dá esta estudantada!

Félix Maier

Obviamente, não me refiro aos estudantes brasileiros, cujos dirigentes da UNE são todos pelegos, de Getúlio a Lula, que defendem o corrupto governo atual porque obtêm algumas migalhas que caem da mesa palaciana. Não me refiro a esses carasucias de araque, que pintaram a cara para derrubar Collor, porém marota e covardemente esconderam a cara suja de vergonha com as denúncias do valerioduto, dólares na cueca, dólares das FARC, dólares de Cuba e mais uns 200 casos comprovados de patifaria petista devidamente contabilizados somente nos últimos cinco anos.

Refiro-me à estudantada venezuelana, que arriscou a própria vida para defender a democracia em seu país. Seu vigor, sua determinação, foram fundamentais para que vencesse o "NO" no plebiscito de domingo, dia 2 de dezembro. Eletrizada pela vibração dos estudantes venezuelanos, a população daquele país votou "NÃO", votou contra as pretensões totalitárias de Chávez, que queria ser o Mussolini dos Trópicos e se eternizar no poder, como seu guru-mor, Fidel Castro, o Abutre do Caribe. Desde os golpetes praticados há mais de uma década pelo "revolucionário bolivariano", sabe-se que o pequedê fanfarrão, tiranete quixotesco de ópera bufa só visto nas ex-colónias espanholas, pretende ser o mais novo Pirata do Caribe.

Muita gente apóia Chávez por corporativismo, porque consegue emprego e vantagens pecuniárias ao lamber os coturnos do boina vermelha revolucionário. Outros o apóiam pelas migalhas concedidas por programas assistencialistas, copiados ou não do Bolsa Família de Lula - a forma moderna de voto de cabresto. Muita gente o apóia no governo, por um motivo ou outro, porém, dar-lhe poderes que só Hitler tinha, assim já era demais!

Apesar de toda a máquina propagandística do governo chavista, puxada pela tropa de choque de estilo nazista, que são os Círculos Bolivarianos, o "NÃO" venceu por muito pouco, por uns dois pontos percentuais apenas. No entanto, para a democracia, foi uma importante batalha vencida. A guerra a favor da democracia, esta ainda está longe para terminar enquanto Chávez estiver no poder.

Afinal de contas, de um tiranete que tem como lema socialismo o muerte, tudo se pode esperar, menos que permita que o país volte a ter democracia, como antes. Chávez disse que vai acatar a decisão da população, "por ora". O recado é mais do que claro: ele não vai desistir de implantar um sistema comunista na Venezuela, nem que para isso tenha que promulgar decretos atrás de decretos. A rigor, o Pirata do Caribe pode aprovar o que quiser, porque o Congresso venezuelano é totalmente subserviente a Chávez, já que a oposição, de modo suicida, não participou das últimas eleições gerais.

E os petistas que fazem campanha para um terceiro mandato de Lula, será que ainda terão o mesmo fólego de apresentar a proposta golpista daqui pra frente?

Ah! Como deve dar orgulho a seus pais e a seu país esta estudantada venezuelana! Muito diferente da estudantada daqui, a qual, quando enfim saiu às ruas, ano passado, saiu junto com a CUT e o MST, para "combater a corrupção", ao mesmo tempo em que, com unhas e dentes, defendia Lula, o verdadeiro e único Chefe do Mensalão. Collor foi derrubado por causa de uma perua Fiat Elba. Nada, no entanto, derruba Lula, o mais novo inimputável da República, ao lado dos índios, dos bebês e dos loucos. E, obviamente, ao lado dos gays, quilombolas e messetê, também todos inimputáveis neste país fictício, a Pindorama do faz-de-conta. Este é o nosso País, o "Brasil, um país de tolos" da propaganda oficial.

Triste Brasil! Triste América Latrina!


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui