Usina de Letras
Usina de Letras
53 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60373 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9718)

Erótico (13520)

Frases (48265)

Humor (19557)

Infantil (4831)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139381)

Redação (3120)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5813)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Alguma voz. -- 26/06/2001 - 18:46 (Arnaldo Sisson) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos




Possuo alguma voz

e o canto que me nasce

como a espada tem seu gume

e o sabiá possui o ramo em que se abriga.



Possuo a Terra

e as coisas que encerra

como o azul tem suas nuvens

e a fera tem a selva em que se esconde.



Possuo um Deus

e os pecados a que me obriga

como o oceano tem um dono

e o Universo possui limites que ignora.



Possuo amores

e os gestos todos dessa festa

como a vinha tem seu vinho

e o mar possui a praia em que termina.



Possuo a vida

e os dias que me restam

como um rio tem suas quedas

e o lenho se dá ao fogo que o fere.



Eu canto como quem contenta um vício,

uma vidente exercendo seu ofício,

ou, se for o caso, de repente,

uma serpente instilando seu veneno.

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui