Usina de Letras
Usina de Letras
43 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62137 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10331)

Erótico (13566)

Frases (50547)

Humor (20019)

Infantil (5415)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140778)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->A vida humana começa na fecundação -- 29/05/2008 - 18:05 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
A vida humana começa na fecundação

F. Maier

A vida humana começa na fecundação, quando é dado o "start" de um novo ser, o qual, se não sofrer interrupção de sua existência, seja por moléstia, seja por aborto, irá se transformar em mais um bebê. Por isso, a vida não começa na nidação, como querem alguns, nem no seu "nascimento" após 9 meses de gestação, como defendeu velhacamente um ministro do STF. Provavelmente, este ministro está de acordo que sua mãe poderia ter abortado, digamos, 1 minuto antes que ele nascesse, e estaria tudo bem. Um absurdo sem tamanho, principalmente por vir tal idiotice de um sujeito que deveria estar preparado para o cargo que ocupa.

Quem fez uma memorável defesa do direito inviolável da vida foi o ministro Carlos Alberto Menezes Direito, em uma exposição de 3 horas de firme argumentação científica, ontem, dia 28/05/08. Para quem o viu de mãos postas, provavelmente o tenha chamado de "carola", por ser católico. No entanto, o pedido de tempo que ele havia feito meses atrás para melhor analisar o assunto rendeu um trabalho que certamente irá para os anais do STF como uma das mais brilhantes exposições já feitas naquela casa. Sua argumentação teve amparo em trabalhos científicos de inúmeros cientistas, do mundo inteiro. Não ficou no "achismo" de muitas autoridades brasileiras, que julgam entender de tudo, porém não sabem de nada, a começar com o ministro da Saúde.

Direito não é contra o estudo científico de embriões humanos, desde que eles não sejam afetados de morte. Em seu voto, Direito defendeu a utilização de partículas das células embrionárias, de modo que as mesmas não sejam violadas em sua integridade e depois descartadas.

O placar da Morte deve ser superior ao da Vida. Deve ser anunciado ainda hoje, dia 29/05. No entanto, ainda não se sabe o que poderá ocorrer com a Lei de Biossegurança, já que outros ministros do STF também votaram com restrições para o uso de células-tronco embrionárias em pesquisas científicas.

Aborto: aborte essa idéia assassina!




Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui