Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
186 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59109 )

Cartas ( 21236)

Contos (13108)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9435)

Erótico (13481)

Frases (46496)

Humor (19274)

Infantil (4456)

Infanto Juvenil (3718)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138219)

Redação (3051)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5519)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->23.03.2020 - O Ladrão e o Advogado -- 14/04/2020 - 13:43 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

Diário da Pandemia

O Ladrão e o Advogado

Quando Gerente em Picos (PI), alguém me pediu para escrever uns versinhos para ler na despedida do Dr. Santinho, da AJURE (PI). Escrevi e li na AABB Teresina (PI), em concorrido churrasco. Dr. Santinho me perdoou, que me perdoem os Advogados que virem os versos abaixo:

 

 

O Advogado e o Ladrão

 

Em toda profissão

tem um palavreado

que chamam de jargão

data-vênia, sed-lex,

contra-légia, prescrição

e até jurisprudência

para acertar na decisão

só não sei bem o porquê

de alguém querer dizer

que advogado é ladrão

 

um dia um consulente

ao causídico perguntou

seu doutor como se sente

para ser meu defensor?

só peço um preço bom

pois eu sou bom pagador

e o doutor lhe respondeu

se for grande a confusão

não defenderei ninguém

a não ser por um milhão

 

e o pobre consulente

sem ter como pagar

perguntou se o doutor

poderia amenizar

aquele preço tão grande

para um colega de classe

 

e abismado o doutor olhou

pro desgraçado

e depressa perguntou

você também é advogado?

sou não senhor doutor

eu sou mesmo é flagelado

retirante do Nordeste

cabra da peste aperreado

se aqui vim lhe procurar

com esta grande aflição

foi pra ver se o Doutor

me tira da confusão

pois não sou advogado

o que sou mesmo é ladrão  

 

Dr. Santinho  

Até aqui foi brincadeira agora vou considerar a mais nobre profissão que alguém pode abraçar e que com justiça e zelo da lei faz bom emprego pra defender o direito quer do rico ou flagelado e viva Dr. Santinho nosso grande advogado Ele agora vai-se embora para o grande Mato Grosso só porque chegou a hora não houve qualquer desgosto O pequenino Piauí que tão bem lhe abraçou espera que sempre volte para ver que aqui deixou este magote de amigos que sempre tanto lhe amou Teresina (PI), 24.01.2003

 

O Diário da Pandemia

Que inventei de escrever

Jamais teve a intenção

Que não só o meu querer

Do dia a dia registrar

Pra no futuro lembrar

O que estamos a viver

 

Mas é preciso dizer

Aqui não vou divulgar

Notícias de tristeza

Já que quero me alegrar

E se esse meu escrever

Nem pouco alegrar você

Mal também não lhe fará.

 

Caros Amigos,

 

A partir de 22.03.2020, passei a publicar versos meus em outras situações, retornando ao assunto em pauta apenas eventualmente.

 

Abraços todos.

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 23.03.2020.

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 6Exibido 55 vezesFale com o autor