Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
41 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59136 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138240)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->28.03.2020 - Caros Colegas e Amigos, BB Portel (PA) -- 14/04/2020 - 13:51 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

Diário da Pandemia

 

Caros Colegas e Amigos, BB Portel (PA)

 

Hoje completam 9 anos que tomei posse no Banco do Brasil, pela segunda vez. Naquele 28/03/2011, na bela cidade de Portel (PA), na região geográfica do Marajó (não na Ilha), distante 22 horas de barco a partir de Belém (PA), a Agência local do Banco do Brasil destravou a porta giratória para ingresso deste velhote, carregando na mala um grande sentimento de menino, o moleque Suiú que tem dentro de mim, o qual me nego deixá-lo morrer. Registro aqui meus agradecimentos à querida Conceição, Gerente que me recebeu sem restrições ao meu perfil de velho bancário, cabeça branca, óculos e barriga avantajada (culpa da cerveja). Lá vivi feliz por 18 meses e após passar por Aracati, Paraipaba, Jaguaruana, Fortim, Praça dos Correios, Mauriti e Farias Brito (CE), hoje estou em Cedro (CE), cidade de minha infância e adolescência. Foi muito bom começar de novo. Abraços a todos os Colegas e Clientes com quem tenho convivido nesta nova jornada.

 

 

A Velhice Está na Moda

 

 

A velhice está na moda Um poeta me falou Quem pouco tem vivido Muito tempo lhe faltou Para amar os conhecidos Nos lugares onde andou Andei por todo o Brasil No Ceará agora estou Aqui em Canoa Quebrada Papai do Céu me botou Pra remoer a saudade Do que pra trás ficou Já vivi cinquenta e nove E espero muito mais Por tudo que tenho vivido Agradeço a Deus demais Pois cansar da bela vida Não me cansarei jamais Muitas emoções eu quero Permeando meu viver Deus me dê força e saúde Pra cumprir com meu dever Mas também sabedoria Pra diversão e lazer Todo mundo quando nasce Começa logo a morrer Pois os dias quando passam Não podem retroceder Só nos resta aproveitar E bem a vida viver Honestidade e trabalho Fazem a vida sempre bela Os amores e os amigos Dão o colorido dela Se ela é boa pra mim Eu devo ser bom pra ela Que Deus me dê muitos dias Para que eu possa viver Fazendo bem meu trabalho Cumprindo bem meu dever E muitas horas de folga Para viver meu lazer Quando chegar o meu dia Que o Pai do céu me chamar Que eu não tenha tristeza Nem nada pra reclamar E que só me arrependa Se esqueci de amar. Tarciso Coelho, Aracati (CE), 12/04/2013

 

 

O Diário da Pandemia

Que inventei de escrever

Jamais teve a intenção

Que não só o meu querer

Do dia a dia registrar

Pra no futuro lembrar

O que estamos a viver

 

Mas é preciso dizer

Aqui não vou divulgar

Notícias de tristeza

Já que quero me alegrar

E se esse meu escrever

Nem pouco alegrar você

Mal também não lhe fará.

 

Caros Amigos,

 

A partir de 22.03.2020, passei a publicar versos meus em outras situações, retornando ao assunto em pauta apenas eventualmente.

 

Abraços todos.

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 28.03.2020.

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 6Exibido 52 vezesFale com o autor