Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
44 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59138 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138242)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5526)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->09.04.2020 - Meus filhos -- 14/04/2020 - 14:24 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

Diário da Pandemia

Meus filhos

Bom dia, amados filhos e filha, Bruno, Sampson, Tarciso e Ariadne.

 

Tenho sido um homem de muitos amores, amor a Deus, aos meus pais, aos meus filhos, aos meus irmãos, às companheiras, ao meu trabalho e à Humanidade.

 

Embora apaixonado, sempre evitei viver paixões, pois muitas vezes resvalam para inconsequências. Melhor vencê-las e substituí-las por sonhos, com cabeça nas nuvens e pés no chão. Sonhar é de graça, por mais caro que seja o sonho. Porque não sonhá-los alto? Continuo sonhando com o Mundo mais justo, ordeiro e pacífico e a Humanidade mais consciente, livre e feliz. Sei que tenho feito pouco para que este sonho se realize, pois conheço minhas limitações.

 

Vamos vivendo. “Viver é melhor que sonhar”, Elís, mas enquanto não for possível viver plenamente, vamos vivendo, mesmo que seja “como nossos pais”, Elís.

 

O sonho continua.  

 

Hoje, aos 22 dias de isolamento, este Diário é Dedicado a vocês que são o motivo maior de minha vida.

 

Amo vocês.

 

 

Bruno (tem 43 anos), preocupado com meu isolamento (tenho 66 anos), mandou-me a seguinte mensagem:

 

Papai,

 

"Saiu no Jornal na Televisão que idosos estão dando muito trabalho desejando sair para as ruas. Um idoso ficou preso na grade da casa ao tentar sair, outro pegou uma chave de fenda para quebrar o cadeado. Uma idosa batia a bengala nos móveis da casa dizendo: Eu vou sair, eu vou sair, eu vou sair".

 

Respondi: Também sou teimoso: daqui não saio, daqui ninguém me tira...".

 

Diário da Pandemia

 

 

O Diário da Pandemia

Que inventei de escrever

Jamais teve a intenção

Que não só o meu querer

De o dia a dia registrar

Pra no futuro lembrar

O que estamos a viver

 

Mas é preciso dizer

Aqui não vou divulgar

Notícias de tristeza

Já que quero me alegrar

E se esse meu escrever

Nem pouco alegrar você

Mal também não lhe fará.

 

Caros Amigos,

 

A partir de 22.03.2020, passei a publicar versos meus em outras situações, retornando ao assunto em pauta apenas eventualmente.

 

Abraços a todos.

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 09.04.2020.

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 6Exibido 57 vezesFale com o autor