Usina de Letras
Usina de Letras
50 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60367 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9716)

Erótico (13520)

Frases (48255)

Humor (19555)

Infantil (4830)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139367)

Redação (3119)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cartas-->Carta à um Amor Verdadeiro -- 21/09/2004 - 09:08 (ANGELA LARA) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Meu amigo, de tanto sonho quebrado,
te peço desculpas por ter te evitado,
mas eu não merecia teu amor,
em tempos passados.
Precisei aprender muita coisa
na tua ausência,
sem teus braços, teu carinho,
teus mails, teus telefonemas, tua dedicação.
Precisei rolar em muitas camas
para sentir, o quanto o amor é capaz
de reconciliação...
Precisei aprender a dor de fato
da falta de amor, da insanidade
por me perder na covardia,
por não aceitar o teu afeto.
Precisei entender das doenças da mente,
daqueles que nos cercam
e nos envolvem, como se fossemos fantoches
na poeira da ilusão.
Precisei andar descalça e sem direção,
me sentir completamente sozinha
para entender que um amor assim,
não deve ser desperdiçado....
Vem... estou pronta para te receber
em meus braços...
para ser tua menina,
poder chorar no teu colo
por todos os meus fracassos...
Quero te perdir perdão
com minha alma pequena,
mas que estará pronta,
quando bateres em minha porta
para ficar de vez, ao meu lado...


Em Todo Tempo... Paulo Palma/SP


Em todo tempo

És dama no meu coração;

Teu nome jamais foi esquecido.

Nas noites que sonhei,

As vezes despertando,

Imaginava que estavas tão perto de mim.

Uma maneira eterna de ti lembrar

Guardado o brilho dos teus olhos inesquecíveis

Meu ser apenas sofria

Acreditava que jamais sairias de mim.

Então olhava ao céu azul escuro

Achava uma estrela perdida distante

Brilho celeste puro,

Então sentia alegria

Paz

No silencio da noite

Distante de mim

Brilhavas, brilhavas como teus olhos

Tão intenso brilho

Tão intenso meu amor

Que não podias ser por ti sentido

Mas dentro de mim,

Sempre pôde alcançar uma lembrança

Que jamais esquecerias o quanto te amo

Assim, como aquela estrela ainda brilhava.


20/09/2004

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui