Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
188 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59109 )

Cartas ( 21236)

Contos (13108)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9435)

Erótico (13481)

Frases (46496)

Humor (19274)

Infantil (4456)

Infanto Juvenil (3718)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138219)

Redação (3051)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5519)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->04.05.2020 - Sexo Com Amor? Sexo é Bom e Com Amor é Ainda Me -- 04/05/2020 - 07:34 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

https://www.youtube.com/watch?v=YxX_Id3CtqM

 

Diário da Pandemia

 

 

Sexo Com Amor? Sexo é Bom e Com Amor é Ainda Melhor!

 

Quando o amor acaba, como fica o tesão?

Antes de qualquer coisa, cabe ressaltar que a ideia de sexo com amor, é algo muito novo para a nossa sociedade.

Para os “antigos”, o casamento se constituía na união de famílias, objetivando a proteção dos indivíduos envolvidos, das posses e dos bens familiares.

Partindo dessa ideia, o casamento era estabelecido visando poder e não o amor propriamente dito, disseminado pelo Romantismo.

Quanto ao ato sexual? Sempre existiu e faz parte da natureza humana.

O amor é o sentimento que une as pessoas.

É a maneira de assegurar proteção do grupo, filhos, da esposa que antes só “possuía como função a procriação”.

E por vezes não era levado em consideração seus sentimentos e desejos. 

Embora não seja novidade que até nos dias atuais, muitas mulheres vivem em situações vulneráveis e de violência doméstica.

A modernidade, a correria do dia a dia tem levado a humanidade a um processo de individualização.

No qual a luta por interesses próprios tem sobreposto ao comunitarismo.

Que por vezes “somos obrigados a discursar”, todavia, é percebido que em muitos casos, tem ficado apenas nos discursos.

Afinal, quando o assunto é o casal, o que é feito um com o outro, na vivência diária, quando os objetivos e metas não são comuns?

Diante desse questionamento, podemos pensar em como as pessoas tem estabelecido seus relacionamentos, sendo assim:

Muitos casais se unem por um “amor romântico”, conhecem a prática sexual apenas após o casamento.

Alguns são felizes, outros se frustram.

Visto que nem sempre na vivência diária o “príncipe/princesa” é o que foi projetado e desejado por meio dos sonhos.

Nesse processo, muitos constroem e reconstroem as relações.

Buscam ajuda psicológica para aprender a lidar um com o outro, com as diferenças e preferências sexuais.

Uma vez que a psicoterapia pode ajudar no estabelecimento de estratégias para trazer o erótico para a relação afetiva.

Diferente da situação descrita acima, outros se unem pelo sexo. 

Sim, unem-se pelo sexo!

Unir pelo sexo, minimiza alguns transtornos e julgamentos sociais.

Pois nessa situação, acreditam “ter a autorização” de ter prazer com o (a) parceiro(a), sem a obrigação de emitir satisfação para familiares e sociedade.

Para essas pessoas, o amor é uma questão de convivência.

E conduz as suas vidas, baseada no prazer, suportando as diferenças que o apego enfraquecido não deu conta de extinguir.

É sabido que o ser humano está em constante mudança, as pessoas mudam, os motivos podem mudar…

Sendo assim, há aquelas pessoas que se conhecem, desenvolvem o afeto, admiração, aprendem a fazer sexo, externam respeito e fazem junção de sentimento com o prazer sexual.

Algumas pessoas vivem felizes, mas não para sempre, afinal, o “para sempre” não existe.

Esses indivíduos creem que podem ser felizes por um tempo, transformando paixão erótica em prazer.

Amor romântico em companheirismo, parceria e assim estabelecem relacionamento que duram anos.

E quando o tesão finaliza? 

Em situações como essas, pode haver a possibilidade de estabelecer vínculos de amizade, viverem juntos por causa dos filhos, dos bens adquiridos…

E porque não pelo respeito e a apreciação de um pelo outro?

Nesse caso, o ato sexual torna-se secundário e estabelecem outros valores para nortear e estimular a vivência.

Conheço muitos clientes e pessoas que vivem dessa maneira, sem relação sexual.

Pois seus estímulos estão no que construíram juntos e nos prazeres que essa construção propicia.

O tesão e a falta da prática sexual, pode desencadear a necessidade da busca por novas possibilidades extraconjugais.

Procura por sexo virtual e até mesmo a solitária masturbação.

Portanto, torna claro que o desejo do fogo sexual pode ser adquirido por diversos modos.

Quando acaba o amor, quando o respeito não existe, o desejo de dividir a vida e a reciprocidade não estabelece mais, será que há tesão que de conta dessa manutenção?

Não importam quais as suas dificuldades, a psicoterapia, pode ser grande aliada no estabelecimento de estratégias de superação!

Juliano Coimbra dos Santos – CRP 16/3680. 

Psicólogo, Especialista em Sexualidade Humana, Especialista em Gestão Empresarial e de Recursos Humanos, Graduado no Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos.

Atua como Psicólogo Clínico e como Psicólogo na Execução da Medida de Internação Socioeducativa no Instituto de Atendimento Socioeducativo do Estado do Espírito Santo – IASES.

Diretor da JCSPSIC – Treinamento & Desenvolvimento Humano e atua como Professor do Centro de Pós Graduações – CESAP.

Contato: coimbraopsicologoonline@gmail.com

 

 

Prazer Carnal

 

 

No desejo constante do corpo amado Na ânsia de amar o maior dos amores Fico sonhando mesmo acordado Em ter de ti agradáveis favores  

No teu leito de amor quero deitar Na esperança de ter os teus beijos E nas curvas de teu corpo me deleitar E também suprir teus maiores desejos  

Na beleza de teu corpo sem par Quero meu corpo nele juntar E sentir da vida o maior prazer  

Linda mulher a quem vivo a amar Vamos pra sempre juntos ficar Para melhor nossa vida viver -x-x-x-x-x-x- Tarciso Coelho

 

 

 

Últimas Notícias: https://www.uol.com.br/

 

 

 

Diário da Pandemia

 

 

 

O Diário da Pandemia

Que inventei de escrever

Jamais teve a intenção

Que não só o meu querer

De o dia a dia registrar

Pra no futuro lembrar

O que estamos a viver

 

 

Mas é preciso dizer

Aqui não vou divulgar

Notícias de tristeza

Já que quero me alegrar

E se esse meu escrever

Nem pouco alegrar você

Mal também não lhe fará.

 

 

Caros Amigos,

 

 

A partir de 22.03.2020, passei a publicar versos meus em outras situações, retornando ao assunto em pauta apenas eventualmente.

 

Fique á vontade para lê-los ou relê-los no seguinte endereço:

 

www.usinadeletras.com.br

Autores

Letra T

TARCISO COELHO

Contos

 

Obs.: Fico grato pelas visitas, inclusive a outros trabalhos lá publicados, bem como aos comentários que tiverem a bondade de escrever.

 

 

 

Abraços a todos.

 

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 04.05.2020.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 6Exibido 118 vezesFale com o autor