Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
47 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59138 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3730)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138242)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5526)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->14.06.2020 - A Gripe Asiática -- 14/06/2020 - 00:12 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

https://www.youtube.com/watch?v=YTYSEi6BFhs

 

 

Diário da Pandemia

 

A Gripe Asiática

 

gripe asiática foi uma pandemia que se iniciou na China no começo de 1956 e durou até 1958. Alguns autores acreditam que se originou de uma mutação em patos selvagens combinada com uma cepa humana pré-existente.

Várias pandemias assolaram o mundo em outras ocasiões e mesmo com a morte de milhões de pessoas, são esquecidas ao longo do tempo pelas novas gerações. Hoje, com a globalização, ficarão na memória coletiva as enormes perdas de vidas humanas.

Sobre a gripe asiática, ouvi meu pai falar algumas vezes relatando sua atuação como proprietário de farmácia em Cedro (CE). A farmácia do Doutor Ibiapina, foi adquirida pelos Senhores Nilo Viana Diniz e Manoel Sampson Bezerra (Manoel Costa), meu pai. Em 1956, Cedro (CE) assistia a substituição de um médico por um enfermeiro prático e sem qualquer formação na área, mas com enorme força de vontade e grande sentimento humanitário, vindo a se transformar em um curador de males e dores. Jamais mereceu ser chamado charlatão, uma vez que desempenhava seu trabalho mais por altruísmo que pela busca de patrimônio, tirando dali quase que só o sustento familiar até o ano de 1970.

Em razão de sua origem matuta nas margens do Riacho do Machado, em Várzea Alegre (CE), e devido a sua dedicação durante a Pandemia da Gripe Asiática, ganhou o apelido de Doutor Machado, dado pelo industrial seu amigo Antônio Marques.

Uma vez perguntei o que ele fazia quando não podia fazer mais nada e via pessoas morrerem à míngua. Ele disse: “chorava abraçado aos familiares”.

 

O Diário de hoje dedico ao “Doutor Machado” e a todos os profissionais de saúde que tanto lutam na guerra contra o coronavirus.

 

 

Últimas Notícias: https://www.uol.com.br/

 

 

Diário da Pandemia

 

 

O Diário da Pandemia

Que inventei de escrever

Jamais teve a intenção

Que não só o meu querer

De o dia a dia registrar

Pra no futuro lembrar

O que estamos a viver

 

 

Mas é preciso dizer

Aqui não vou divulgar

Notícias de tristeza

Já que quero me alegrar

E se esse meu escrever

Nem pouco alegrar você

Mal também não lhe fará.

 

 

Caros Amigos,

 

 

A partir de 22.03.2020, passei a publicar versos meus em outras situações, retornando ao assunto em pauta apenas eventualmente.

 

Fique á vontade para lê-los ou relê-los no seguinte endereço:

 

www.usinadeletras.com.br

Autores

Letra T

TARCISO COELHO

Contos

 

Obs.: Fico grato pelas visitas, inclusive a outros trabalhos lá publicados, bem como aos comentários que tiverem a bondade de escrever.

 

 

 

Abraços a todos.

 

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 14.06.2020.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 6Exibido 85 vezesFale com o autor