Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
132 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59136 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46520)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138239)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->11.07.2020 - “Cada dia com sua agonia”. -- 11/07/2020 - 14:23 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

https://www.youtube.com/watch?v=QmDmv1jwCeE&feature=youtu.be

 

Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal. Mateus 6:34

 

 

“Cada dia com sua agonia”.

 

Diário da Pandemia

 

Medo

 

Em sua manifestação primitiva, é um sinal, uma previsão de provável dano, que estimula a pessoa a se afastar de situação perigosa. Tudo indica que a pessoa foge não pelo medo, mas para livrar-se dele. Apresenta-se sob vários disfarces como pessimismo, timidez, mentira, insegurança, conformismo, vaidade, conduta reservada e as posturas derrotista, idealista e reativa. O medo imaginário pode levar a pessoa a evitar situações que poderiam resultar em êxito, renunciando ao que lhe parece indicar perigo.

(Jornal Diário do Nordeste, de 31.08.97).

-x-x-

Um bom susto ainda vale mais que um bom conselho (Ludwig Frhardt - considerado o pai da reconstrução alemã).

-x-x-

 

Últimas Notícias: https://www.uol.com.br/

 

 

Diário da Pandemia

 

 

O Diário da Pandemia

Que inventei de escrever

Jamais teve a intenção

Que não só o meu querer

De o dia a dia registrar

Pra no futuro lembrar

O que estamos a viver

 

 

Mas é preciso dizer

Aqui não vou divulgar

Notícias de tristeza

Já que quero me alegrar

E se esse meu escrever

Nem pouco alegrar você

Mal também não lhe fará.

 

 

Caros Amigos,

 

 

A partir de 22.03.2020, passei a publicar versos meus em outras situações, retornando ao assunto em pauta apenas eventualmente.

 

 

Para lê-los ou relê-los clique: https://bit.ly/tarcisocoelho

 

 

 

Obs.: Fico grato pelas visitas, inclusive a outros trabalhos lá publicados, bem como aos comentários que tiverem a bondade de escrever.

 

 

 

Abraços a todos.

 

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 11.07.2020.

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 6Exibido 87 vezesFale com o autor