Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
44 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59136 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46520)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138239)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->19.08.2020 - Preto Jovêncio, o Vaqueiro -- 18/08/2020 - 19:16 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

https://youtu.be/MgSGSEFF8LU

Diário da Pandemia

 

Preto Jovêncio, o Vaqueiro

 

Noventa e nove anos O Preto Jovêncio tem Mas como ele consegue Ser jovem como ninguém É verdadeiro mistério Que descobrir convém Ele foi menino forte Desde cedo trabalhou E mesmo ainda miúdo Sua profissão abraçou E no mais famoso vaqueiro Do Marajó se tornou Ao longo de sua vida O medo não lhe rondou Ganhou muita corrida Nos cavalos que montou E derrubou touro brabo Que nos campos campeou E pelas ruas de Soure Esta tão bela cidade Tem a figura singela Que lhe trás felicidade Pois o vaqueiro mais forte Aqui tem muita amizade Quando na rua ele passa Cumprimenta todos que vê E também é cumprimentado Por quem quer lhe conhecer Para saber da história De tão longo bem viver Se o ser humano busca A sonhada longevidade Não precisa de mistério Só de Deus a caridade E um monte de amigos Que lhe dê felicidade Passar o dia trabalhando E toda noite dormindo É apenas uma das formas Para se manter menino Mas se quiser coma turu No seu lanche matutino E assim vamos vivendo Sem com ninguém se zangar Nunca guardando ódio E tendo sempre a quem amar Pois com o caldo de turu A energia vai lhe sobrar. Homenagem do amigo Tarciso Coelho, Poeta Cearense. Soure (PA), 17.07.2005

 

http://republicaveropeso.blogspot.com/2017/10/o-marajo-e-vasto-mundo-de-resiliencia.html

https://youtu.be/ESLcSQnt3Xk

https://youtu.be/jF0PNRPC7Dk

 

Últimas Notícias: https://www.uol.com.br/

 

 

Diário da Pandemia

 

 

O Diário da Pandemia

Que inventei de escrever

Jamais teve a intenção

Que não só o meu querer

De o dia a dia registrar

Pra no futuro lembrar

O que estamos a viver

 

 

Mas é preciso dizer

Aqui não vou divulgar

Notícias de tristeza

Já que quero me alegrar

E se esse meu escrever

Nem pouco alegrar você

Mal também não lhe fará.

 

 

Caros Amigos,

 

 

A partir de 22.03.2020, passei a publicar versos meus em outras situações, retornando ao assunto em pauta apenas eventualmente.

 

 

Para lê-los ou relê-los clique: https://bit.ly/tarcisocoelho

 

 

 

Obs.: Fico grato pelas visitas, inclusive a outros trabalhos lá publicados, bem como aos comentários que tiverem a bondade de escrever.

 

 

 

Abraços a todos.

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 19.08.2020.

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 6Exibido 69 vezesFale com o autor