Usina de Letras
Usina de Letras
43 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62134 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10329)

Erótico (13566)

Frases (50541)

Humor (20019)

Infantil (5414)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140776)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->O Rio de Janeiro já foi lindo! -- 19/11/2008 - 11:29 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Ex-Blog do Cesar Maia

19/11/2008

DADOS DE CRIMINALIDADE COMPARADOS ENTRE ÚLTIMO ANO DO GOVERNO ROSINHA E O GOVERNO CABRAL!

Janeiro a Agosto acumulado -2006 e 2008- pela ordem.

1. Roubo a Transeuntes: 30.049 e 44.820 com crescimento de 33%

2. Total de Furtos: 91.904 e 112.095 com crescimento de 18%.

3. Total de Roubos: 81.378 e 93.295 com crescimento de 12,8%.

4. Auto de Resistência: 732 e 849 com crescimento de 13,8%.

5. Homicídio Doloso: 4.159 e 3.702 com decréscimo de 12,3%.

6. Pessoas Desaparecidas: 2.994 e 3.202 com crescimento de 6,5%.

7. Roubo a Transeuntes + Total de Furtos + Total de Roubos de janeiro a agosto de 2008 somam 250.210 ou 1.040 por dia.

8. Estimativa de roubos a transeuntes, roubos e furtos não informados às delegacias: 70%. Incidências prováveis: 3.460 por dia. Ou 145 por hora ou 6 por minuto.


GOVERNO DO ESTADO MULTIPLICA POR QUATRO O CUSTO DOS GRANDES GERADORES DE LIXO!

1. O sistema legal de limpeza urbana do Rio-Capital, de recolhimento de lixo e transporte para os aterros sanitários, determina que os grandes geradores (grupos ou empresas que produzem grandes quantidades de lixo) se encarreguem de depositar em aterros o lixo que produzem.

2. Semana passada o Governo do Estado, através da Feema e da Ceca, proibiu que essas empresas levassem seu lixo para os aterros da Comlurb, da Prefeitura, em Gramacho e em Gericinó. Ao mesmo tempo, o novo Centro de Tratamento de Resíduos, licitado pela Comlurb, foi obstruído político-juridicamente. Simultaneamente, esses grandes geradores foram induzidos a levar o lixo para o Aterro Sanitário de Nova Iguaçu. O processo obstruído na justiça o foi por uma ONG ambiental com sede na Barra da Tijuca, que é contratada pelo Aterro de Nova Iguaçu.

3. A Comlurb cobra para a deposição em Gramacho R$ 12,50 por tonelada e para deposição em Gericinó R$ 14,30 por tonelada.

4. O Aterro de Nova Iguaçu cobrava entre R$ 60 e R$ 70 por tonelada, mas com as decisões do Estado, baixou para R$ 52,00 por tonelada. O CTR de Paciência licitado pela Comlurb custaria muito pouco mais que R$ 15,00. Claro, esse CTR é uma ameaça para a S.A. Paulista (Nova Iguaçu). E nas eleições, os candidatos de oposição se comprometeram a impedir o funcionamento do CTR de Paciência. Bem... bem... bem...

5. Um custo muito alto terão que pagar as empresas cariocas grandes geradoras de lixo. Quatro vezes mais caro. E num momento de crise, sentirão o peso do jogo pesado das "máquinas" do lixo. E, se pensavam que nada tinham a ver com esse debate, agora sentirão na carne que tinham tudo a ver. Mais rápido do que muitos pensavam.


SOBRE AS ESTATíSTICAS DE AUTO DE RESISTÊNCIA!

A secretaria de segurança do Estado do Rio publicou ontem dados de forte queda dos autos de resistência, ou seja, pessoas mortas em confronto, provavelmente bandidos. Ontem à tarde este Ex-Blog recebeu um comunicado de um funcionário civil da secretaria de segurança. Diz assim: "A queda dos autos de resistência está relacionada a uma nova forma de classificar os crimes pela polícia civil, que não estariam sendo contabilizados em homicídio proveniente de auto de resistência, mas em tentativa de homicídio com morte do opositor."


O MERCADO IMOBILIÁRIO JÁ VIVE PROFUNDO PROCESSO RECESSIVO!

1. A queda das cotações das ações das principais empresas do mercado imobiliário é apenas um sinal da crise geral. Mas o problema mais grave, e que ampliará esse processo, é a estagnação do mercado imobiliário. Nem os lançamentos tradicionalmente bem sucedidos voltados para a classe média alta se sustentam mais.

2. Na medida em que se trata de um setor fortemente empregador, a crise do setor imobiliário tem um forte impacto social nas grandes cidades como SP e RIO. De pouco adianta o governo querer suprir as empresas imobiliárias de liquidez, que de nada vai adiantar.

3. A estagnação no setor traz duas informações. A primeira é que os aplicadores em imóveis como reserva de valor estão saindo do mercado, provavelmente para suprir suas necessidades em outros. A segunda é que a crise já chegou à classe média alta, seja como indicação de desemprego, seja como projeção de risco de desemprego.


FALTOU DIZER: O CIEP ERA DO GOVERNO DO ESTADO!

Globo-Capa

PM DESCOBRE ARSENAL DENTRO DE UM CIEP

Diretora tentou impedir entrada da polícia por causa da festa. Com auxílio de cães farejadores, a PM descobriu um arsenal de guerra (granadas, pistolas, fuzil, metralhadora e munição) e drogas no CIEP Frei Agostinho Fincias, vizinho a uma favela no Engenho Novo, onde um bandido foi morto e um casal preso.


ALTO NíVEL NA SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO!

Ex-subsecretário diz que quase foi às vias de fato com o secretário de segurança em seu gabinete! Ex-subsecretário de Segurança do Rio diz que deixou governo por incómodo com excesso de mortes O ex-subsecretário de Segurança do Rio Márcio Derenne afirmou nesta terça-feira à CPI do Grampo na Càmara que deixou o cargo porque a polícia do Rio estava matando demais. Ele disse apoiar a política de enfrentamento ao tráfico, mas criticou supostos abusos da polícia. - Me incomodava o número de mortes de civis inocentes. Incomodava meu sono o número de mortos no Rio de Janeiro - disse. Derenne negou no início do depoimento saber da existência de escuta telefónica contra ele, embora seja público que essa foi a causa da briga com o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, e da saída dele do governo. O ex-subsecretário confirmou que os dois quase foram às vias de fato no gabinete de Beltrame, mas atribuiu a briga a questões "pessoais, ideológicas e administrativas".


O JORNAL NACIONAL E A CRISE! MELHOR SERIA DIZER AS COISAS COMO SÃO!

1. O JN tem feito força para ajudar a criar um quadro de relativo otimismo sobre a conjuntura. Certamente seu objetivo é o melhor: evitar que um clima de pessimismo agrave a crise. Ontem, num bloco-série semanal, dava continuidade a informar sobre empreendedorismo e de que forma as pessoas podem tomar iniciativas. Em outro, em cima de uma pesquisa defasada do IBGE de setembro sobre vendas a varejo, reforçava com entrevistas decisões de compra a crédito de bens duráveis.

2. E finalmente o presidente Lula, suando na testa, pedia que quem tiver algum dinheiro não o coloque debaixo do colchão, mas que gaste porque se não o fizer a consequência será o desemprego. Pela primeira vez Lula usa a expressão desemprego e o fez com ansiedade.

3. O problema é que as pessoas estão correndo risco com seus empregos e estimular o consumo, inocuamente, elimina o colchão de segurança que podem ter para o caso de perderem suas ocupações. Na Alemanha a decisão das pessoas é poupar neste momento. O governo não desestimula, pois mais vale perder "zero vírgula" alguma coisa de PIB que ter que deixar as pessoas ao sabor da crise sem seus elementos pessoais de autodefesa, como a poupança.

4. Desta forma, entrar por um sendeiro de criação virtual de expectativas, provavelmente terá como consequência e desdobramento, um impacto ainda maior da crise sobre as pessoas e suas famílias. O fundamental deve ser dizer como as coisas são de fato, de forma a que as pessoas tomem as suas decisões de autodefesa económica.

5. Várias empresas suspenderam as festas de Natal, dando um sinal claro de austeridade a seus funcionários. O UBS informou publicamente que havia suspendido os bónus de seus dirigentes. Obama suspendeu seu suave sorriso e trocou pela seriedade que a conjuntura exige. Enquanto isso, Lula festejava na semana passada com jogadores de futebol, junto a Berlusconi e ontem recebia a camisa do Chelsea das mãos do próprio Felipão. Uma alegria danada. Não é o momento para isso. Aliás, o JN nos livrou desta imagem grotesca num quadro de crise.



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui