Usina de Letras
Usina de Letras
38 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62134 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10329)

Erótico (13566)

Frases (50541)

Humor (20019)

Infantil (5414)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140776)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Nossas Forças Armadas -- 09/12/2008 - 23:42 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Nossas Forças Armadas

Jorge Linhaça

Não é segredo para ninguém que eu abomino os governos militares. O que não quer dizer que abomine também as forças armadas, em sua maioria composta por pessoas de bem, seja qual for a sua ideologia política. Mas o que vou tentar relatar aqui são lições que aprendemos nos últimos dias com o exército, a marinha e a aeronáutica de nosso país.

A mobilização das forças armadas durante a tragédia que se abateu sobre Santa Catarina foi e continua sendo absolutamente essencial.

Desta vez nossos soldados, marinheiros e aeronautas foram chamados a empunhar armas diferentes (embora as de fogo se façam por vezes necessárias também nas calamidades para conter os mais afoitos e alguns mal intencionados).

Nossos uniformizados irmãos armaram-se até os dentes de solidariedade, vestiram o uniforme do amor ao próximo e partiram com suas tropas e batalhões, esquadras e aviões, com destino às cidades atingidas. Estabeleceram, junto com a defesa civil e as autoridades locais, os limites de segurança necessários em meio ao desespero.

Transportam por terra , mar e ar as toneladas de donativos que chegam ao nosso estado-irmão, levando mais do que roupas, remédios, alimentos, brinquedos, móveis, material de construção e limpeza. Levam esperança, alento e solidariedade a este povo que sofre. Prestam socorro, ajudam a manter a segurança, montam hospitais de campanha, ajudam na limpeza das áreas atingidas...

Não importa se os uniformes são brancos,verdes ou azuis, não importa se são soldados rasos, sub-oficiais ou oficias, pouco importa o papel que cada um desempenha, desde o soldado raso ao médico, enfermeiro, psicólogo ou piloto. O que importa é que estão lá, fazendo a sua parte e participando desta enorme corrente de amor e solidariedade.

Se deve ser, em alguns momentos, assustador ver tanques de guerra circulando pelas ruas, caminhões cheios de soldados armados como se repentinamente as cidades tivessem se tornado uma zona de guerra, esse susto inicial deve ser logo substituído pela gratidão aos serviços prestados.

Como é bom ver civis e militares unidos em um só propósito, irmanados em uma única causa.

Aos nossos militares , de todas as forças armadas, o nosso agradecimento sincero pelo lindo trabalho desempenhado neste momento em que milhões de mãos se unem em favor de nossos irmãos catarinenses.

Jorge Linhaça

ativista da INCAPAZ


Jorge Linhaça
Arandu/SP - Brasil, 47 anos, Escritor Semi-profissional

http://recantodasletras.uol.com.br/mensagensdeagradecimento/1323454


Obs.: Bela crónica do Jorge Linhaça. Uma pergunta, no entanto, não quer calar: que tanques-de-guerra o Jorge viu circulando em SC? Eles iriam atolar naquele lodaçal todo... No máximo, ele deve ter visto (pela TV?) carros blindados de transporte de pessoal, como o Urutu e o Jararaca - só para ficar com duas das "feras" do Exército (F. Maier).



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui