Usina de Letras
Usina de Letras
14 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62153 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13567)

Frases (50555)

Humor (20023)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140788)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6177)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Pela liberdade -- 19/12/2008 - 23:03 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Gazeta do Paraná - Coluna Isto Posto - Paulo Martins

PELA LIBERDADE

Li alguns textos a respeito dos quarenta anos do AI-5. Como toda história, via de regra, é escrita por quem não estava nela - como a história bíblica, por exemplo - os textos ao fato que aqui me refiro também devem ter sido cunhados por quem sequer procurou pelo menos entender o ocorrido. Quem hoje está com quarenta anos, digamos, quando da edição do AI-5 estava nascendo, mas como "repórteres de agora" não se furtaram em colocar em seus textos que se tratou de uma espécie de "arma de horror". Não podemos, em qualquer época, tanto como a da edição do AI-5 como agora ou mesmo no futuro, deixar de condenar esse tipo de instrumento, todavia, o pensador já disse que: "Condenar a guerra é um imperativo, entretanto, quando em perigo passa a estar a nossa liberdade, se torna impossível evitá-la".

Infelizmente foi o que ocorreu quando da edição do AI-5. Nossa liberdade estava ameaçada, corria sérios riscos e começava a prosperar novamente a mentira gerada por parlamentares terroristas, cuja intenção era a de instalar no Brasil o regime comunista, como já haviam tentado em 1964. O então impolido, grosseiro, incivil e mal criado Marcio Moreira Alves, designado representante do peleguismo marxista, por exemplo, foi o estopim. Usou da tribuna no Congresso para disparar insultos - os mais abomináveis - contra o governo de então. Era ele um stalinista da mais estúpida e indecente corrente ditatorial desse regime infame. Lhe seguiam outros e outros e que, ao contrário do que afirmam ter sido "horror", vivem até hoje. Fossem eles os vencedores em relação à intenção, muitos daqueles que abominam a ditadura comunista não estariam vivos...teriam sido fuzilados, como fuzilados foram milhares em Cuba, na China, na Coréia do Norte, na Albània, na União Soviética, etc...etc...etc...etc. e os etc. não são poucos. O AI-5 foi necessário. Infelizmente foi necessário. Ele cassou terroristas, cassou corruptos, cassou delinquentes políticos. Elementos como muitos de hoje que assaltaram e continuam assaltando os cofres públicos não prosperavam quando do AI-5. O tal de Paulinho da Força, por exemplo, hoje ao ser brindado com a proteção de seu mandado de parte de seus abomináveis semelhantes, fosse à época teria sido cassado. Simples e merecidamente cassado. Os valores morais estavam acima de qualquer mandato. Lula, outro exemplo, não teria prosperado depois da Nação ter flagrado a delinquência apelidada de "mensalão", vergonhoso e obsceno instrumento que comprou parlamentares para que seus objetivos escusos fossem alcançados e não seria a cínica, despudorada e insultante desculpa "eu não sabia" que o teria consagrado como "inocente" (bááá). Um governador aqui do Paraná foi flagrado na corrupção - Haroldo Leon Peres - Não houve, a protegê-lo, esse ato espúrio e depravado de "fórum privilegiado", além de longo tempo para se manter no cargo e fora do alcance da lei. Hoje, estão aí ministras - ministros - deputados - senadores e tantos outros tentando afirmar que o instrumento foi um horror, pois atentou contra a liberdade. Mentem. O instrumento foi editado em razão deles mesmos, mentirosos, aloprados, ditadores de esquerda, tentarem instalar no Brasil o que não se adapta à formação do brasileiro, ou seja, justamente a ditadura. Foi em defesa da liberdade que, infelizmente, a Nação Brasileira teve que "suportar as agruras da guerra"...guerra imposta por muitos falsos democratas que ainda hoje, a bordo até de cargos públicos, investem-se da audácia desprumada de falar em liberdade, quando na verdade são, sim, o inverso em caráter e formação...são ditadores. E o que é pior...de esquerda e esquerda extremada é aquela ideologia que manda para o paredão, sem julgamento, sem apelos e, se necessário for, elimina também sem julgamento até os que chamam de "companheiros", através de ato que apelidaram de "justiçamento". Algo como "desconfiar" que um companheiro tenha prestado alguma informação a alguém - indevidamente - e era o que já bastava para ser covardemente assassinado. Assassinado pelos próprios colegas. Como brasileiro, não quero e abomino qualquer instrumento ditatorial. Sou amante da democracia. Sou amante da liberdade. Não quero, como brasileiro essa exceção, entretanto, abomino muito mais e desejo manter longe, muito longe essa cambada de safados que através do comunismo tenta enganar a Nação brasileira, principalmente os jovens e tenta também - até hoje - a implantação dessa infame ditadura que jamais - em lugar nenhum do mundo - conseguiu oferecer uma tênue fatia de felicidade a quem quer que seja. A não ser a eles, os ditadores da esquerda que aqui, enquanto condenam o AI-5 tentam implantar censura à imprensa através do que chamam de "Conselho Nacional de Jornalismo" - tentam censurar a Justiça, quebram sigilos telefónicos, inexiste sigilo bancário, invadem casas, prendem sem julgamento, eliminam "caseiro" (e outros) por ter sido testemunha de visita "deles" à zona de meretrício, fazem blindagens a corruptos como Renam Calheiros que sustentou amante e triplicou boiadas às custas do dinheiro do povo, além de mais, muito mais que a falta de espaço não permite relatar. Vade Retro Satanás.


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui