Usina de Letras
Usina de Letras
8 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62153 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13567)

Frases (50555)

Humor (20023)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140788)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6177)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Araucária e o Urso Panda -- 22/12/2008 - 17:51 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Araucária e o Urso Panda

http://www.if.org.br/analise.php

Análise escrita por Ulisses Alfredo dos Santos Lima, em 18/12/2008.

"A lei é o que se vê e o que não se vê" Frédéric Bastiat.

Sou um amante da natureza, mas não sou um ecochato. De todas as árvores a que mais gosto é a araucária, símbolo do Estado do Paraná e que lembra muito o símbolo do Movimento Federalista, o qual, com muita honra, faço parte.

No Brasil temos uma lei que proíbe o corte das araucárias e isso - no primeiro momento - parece que é a salvação das araucárias. Mas na realidade é a morte das araucárias no longo prazo, pois se não podemos cortar, ninguém irá plantar - com raríssimas exceções. No sul do país podemos ainda ver algumas araucárias adultas, mas é muito raro encontrar uma ainda pequena. Pode se tornar uma grande dor de cabeça para o proprietário do imóvel no futuro, pois é muito complicado conseguir autorização do governo para cortar para construir.

Como ensina Bastiat em seu livro A Lei, quando nossos legisladores implantam leis que a princípio servem para um determinado objetivo, no fim pode-se estar criando um antídoto totalmente desfavorável a que inicialmente foi proposto.

Vivemos em um planeta em eterna evolução darwiniana e que espécies que não são flexíveis às mudanças e que não se adaptam tendem a ser extintas. Como vários exemplos na história.

Um deles é o urso panda, que se alimenta 11 horas durante o dia e dorme outras 13 horas. Quando chega o tempo de acasalamento, qualquer trovão no dia fértil da fêmea já é um pretexto para os dois não aproveitarem para perpetuação da espécie.

O que poucas pessoas entendem - principalmente a maioria dos ecologistas e burocratas do Estado - é que para salvar espécies de árvores e animais temos antes de tudo criar uma função económica para elas. Alguém já imaginou se a vaca, a galinha, ou mesmo o coelho em ameaça de extinção? Só isto basta para que as pessoas e também as empresas comecem a plantar novamente araucárias. E que façam o mesmo com animais em extinção.


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui