Usina de Letras
Usina de Letras
49 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62137 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10331)

Erótico (13566)

Frases (50547)

Humor (20019)

Infantil (5415)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140778)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Gilmar Mendes: O inimigo da vez do MST -- 02/03/2009 - 16:27 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Zero Hora - 2/3/2009

Direto de Brasília

Klécio Santos

Inimigo da vez

Foi uma provocação. Bastou o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, criticar o MST para que o movimento respondesse com sua tática usual: invadir fazendas. Quem deu o caminho foi o líder sem-terra José Rainha, ao citar as polêmicas decisões de Mendes em favor do banqueiro Daniel Dantas. Ao invadir as terras do dono do Opportunity, neste final de semana, o MST não só tenta constranger Mendes como levanta a tese de que ele não é isento o suficiente para julgar a organização.

Para os sem-terra, a verborragia do ministro foi um achado. Com os acampamentos desnutridos e um discurso cheirando a mofo, o MST precisava de combustível. Em Mendes, encontrou um inimigo. O magistrado integrou o governo Fernando Henrique Cardoso e não se inibe em dar palpites, seja qual for o assunto. As estocadas de Mendes, aliás, também atingiram o governo. Num primeiro momento, o Planalto proibiu seus ministros de repercutir os ataques. O governo só reagiu depois que a imprensa denunciou o repasse de dinheiro público à entidades ligadas aos sem-terra.

O MST sempre foi um aliado de Lula, embora com o PT no governo essa amizade seja um tanto dissimulada por críticas de ambos os lados. Mas ano que vem tem eleições. E o MST sabe que, embora o governo Lula não tenha contemplado todas suas expectativas, uma vitória da oposição em 2010 só empurraria o movimento ainda mais para a marginalidade. Não foi à toa que a maioria das invasões realizadas no feriadão de Carnaval ocorreu em São Paulo, governado pelo postulante tucano ao Planalto José Serra.


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui