Usina de Letras
Usina de Letras
28 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Saudades de Marcio Thomaz Bastos -- 05/03/2009 - 08:52 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Comentário do dia

04.03.09

D I V U L G A Ç Ã O

INSTITUTO LIBERAL
26 Anos
Comentário do dia

Saudades de Marcio Thomaz Bastos

ARTHUR CHAGAS DINIZ *

O escàndalo de Agaciel, diretor geral do Senado há mais de catorze anos, deve trazer ao Governo saudades de Marcio Thomaz Bastos. Este último, um experimentadíssimo criminalista, conseguiu transformar um escàndalo institucional da proporção da compra sistemática de uma base de apoio ao governo em um simples Caixa-2 de campanha e, finalmente, levar este escàndalo para a càmara mortuária do STF.

Agaciel Maia tem, há muitos anos, uma casa no Lago Sul de Brasília, avaliada em R$5 milhões, fora de sua declaração de bens. Ele confessa ingenuamente uma irregularidade fraterna cometida, portanto, em conluio com seu irmão, o deputado João Maia. Marcio certamente já teria tirado do colete uma solução mágica. À falta dessa, Sarney foi obrigado, a contragosto, a afastar o seu "Delúbio" do Senado. Administrando recursos anuais de R$2,7 bilhões, tal como Delúbio, Agaciel vai proteger seu padrinho ou padrinhos. É um mecanismo de chantagem que obriga o "afilhado" a proteger o padrinho, caso contrário, se veria envolvido com o crime.
Temos esperança de que a ostensiva corrupção que ocupa todos os escaninhos oficiais comece a gerar uma revolta em parlamentares e cidadãos comuns contra a cleptocracia que se instalou no País e que já não pode sequer pensar em rodízio no Governo, sob pena da revelação pública dos desvios que estão ocorrendo no dia a dia da vida pública.

(*) PRESIDENTE DO INSTITUTO LIBERAL


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui