Usina de Letras
Usina de Letras
50 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62137 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10331)

Erótico (13566)

Frases (50547)

Humor (20019)

Infantil (5415)

Infanto Juvenil (4748)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140778)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->ECA! -- 29/04/2009 - 12:57 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
ECA!

Textículo: Pbl. Emmnl.
(Pablo Emmanuel - Professor)

Muito interessante como o Estatuto da Criança e do Adolescente, ao atingir sua maioridade, prescreve os cuidados que o Estado e a família devem ter para com os menores.

Além de desampará-los, deixando-os sob a tutela da internet, da TV, da rua e das baixarias "culturais" do consumo, ambas instituições lutam para se livrar de suas responsabilidades. Isso é abandono moral.

Na periferia do Distrito Federal, um garoto de 14 anos matou um frentista. Foi encontrado pela polícia em casa, dormindo, duas horas depois.

Vamos ler o que diz o artigo abaixo:

Art. 17. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, ideias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.

· Imagem: a pior possível
· Identidade: nada
· Autonomia: para infringir
· Valores: nenhum
· Ideias: nenhuma
· Crenças: na impunidade
· Espaços: a rua e a "boca"
· Objetos pessoais: calibre 38.

A internação do infrator se dará por 3 anos, quando muito. Já a do frentista durará ad infinitum, numa cova.

Por acaso estou aqui pregando a barbárie? Não. Apenas alguma responsabilidade para infrações graves. Só isso. Não é opinião de esquerda nem de direita. É opinião isenta de corpo ideológico, dada mediante a realidade que urge ser observada e reavaliada.


Obs.: Concordo plenamente com o Pablo e assino embaixo. Mais: esses bandidos deveriam ser tratados como adultos, não como criancinhas, pois a maioria já está em fase de reprodução, portanto, fisicamente são adultos. O resto é conversa mole de filho da puta para filho da puta, de bandido para bandido. (F. Maier).


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui