Usina de Letras
Usina de Letras
51 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60374 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9719)

Erótico (13520)

Frases (48266)

Humor (19559)

Infantil (4832)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139383)

Redação (3120)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5813)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->LAGRIMAS -- 30/04/2009 - 12:24 (Alberto Batista) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

LAGRIMAS

Qual o grande motivo que levam duas pessoas a amar? Será que as enxurradas de gotículas lagrimejante é causada pela dor da separação, pela sedução de uma grande paixão através da conquista emocional, ainda tem o afloramento dos libidos que fazem os corpos nus choram de prazer.
São esses pormenores que paulatinamente cresce a existência do ser, para outro ser, sendo inesgotável, potável, com filtração e talvez sem filtro, dando a oportunidade ao erro vazado tampando o sol com a peneira logo em seguida, ou há de ser preenchido com suas qualidades e defeitos sinfonicamente, o lapide do namoro.
Pois é, o inexplicável aplicável da natureza humana de tantos motivos, tantas metáforas, tantas historias contadas e mal contadas de coisas complicadas de entender e ser entendido, os dois seres humanos opostos que querem se juntar podem acabar desajuntados. Os dois num conto crónico de pele albificadas, sendo uma com salpiques africano materno.
A crónica romanceada é baseada no choro... Choro? Após tanto tempo de namoro, o choro pode ser de mentira ou de verdade. Quando o choro procede da mentira provem verbalização como "lagrimas de crocodilo", ou seja, cujo aquele (a) que procura comer sua vitima com seu choro lagrimejante. Quando procede da verdade, vem vários ditados populares na cabeça, ou seja, até que a morte os separe.
O casal de pele albificadas infelizmente!... Felizmente! No dia do veto de suas vidas, decidiram terminar... Terminar? Como assim! Só posso dizer a cantora Maysa cantaria assim "Meu mundo caiu..." não só caiu um mundo, como dois mundos que caminhavam junto até então. Salvem as baleias! Salvem os golfinhos! Salvem os peles vermelhas!... E principalmente salvem esse casal albificados que estão prestes a morrerem de lagrimas caídas ao chão.
Bem, sobrou para o salpique africano materno acudi-los que os levou ao Socorrao... Para o consolo dos dois o arrependimento misturado com a saudade mostrou-os que ainda não era hora de terminar. Eu não disse para salvar a todos, mas a grande salvação realmente foi o beijo que selou o pacto do homem com a mulher que deseja e ama, vive e convive.
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui