Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
44 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59138 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3730)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138242)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5526)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->24.03.2021 - O Zé -- 23/03/2021 - 23:40 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

https://www.magazinevoce.com.br/magazinegarimpotarciso/

 

Diário do Dia a Dia

 

O Zé

 

Todos os dias, pontualmente ao meio dia, um homem maltrapilho e sujo, entrava correndo na igreja, ajoelhava em frente ao altar, fazia o sinal da cruz e voltava correndo para a rua, do mesmo modo como entrou.

Admirado com a repetição diária da cena, o padre não se importou dizendo para si mesmo que a casa de Deus está aberta a todos. Mas acabou ficando tão incomodado com aquilo, que resolveu esperar o homem na saída da igreja.

Segurou-o pelo braço e perguntou:

- Quem é você? E porque você entra correndo e sai correndo em vez de assistir a missa toda?

Ao que o homem respondeu:

- Eu sou o Zé e não tenho tempo para assistir a missa toda por que tenho que trabalhar nas ruas, por isso passo sempre aqui e entro rapidinho só para falar com Jesus.

- Como é que você faz isso correndo desse jeito? Claro que Jesus não vai te ouvir!... Falou o Padre.

E o homem:

- Não sei se Ele ouve ou não Padre... Mas eu não deixo de falar com ele. Entro, ajoelho e digo: - Oi Jesus... tudo bem? Aqui é o Zé.

Passado algum tempo, o Zé foi atropelado nas ruas e ficou muito mal, durante muito tempo. Assim que começou a se restabelecer, a Madre que tomava conta daquela enfermaria, cheia de indigentes e desvalidos, ficou surpresa com o Zé. Ele estava sempre bem e conseguia passar aos outros internos um pouco de alegria e conforto.

- Ô Zé, como é que você não tendo ninguém nem nada no mundo, todo quebrado, quase morreu, ainda tem alegria para compartilhar com os outros? Eu não entendo.

Ao que o Zé Respondeu:

- Ah Irmã, eu acho que é por causa da visita que recebo todos os dias, pontualmente ao meio dia... 

- Que visita? Você está variando homem? Ninguém vem te ver...

- Claro que vem Irmã! Todos os dias, ao meio dia ele chega ao pé da minha cama e diz:

- Oi Zé!... Tudo bem?... Aqui é Jesus...

(Autor Desconhecido).

-x-x-x-x-x-x-

Deus concede a todos os homens o mesmo poder, mas cada um se beneficia dele de acordo com suas limitações (Leibniz).

-x-x-x-x-x-x-

 

https://www.magazinevoce.com.br/magazinegarimpotarciso/

 

Compre aqui que o Magazine Luíza vai deixar em casa.

 

Para lê-los ou relê-los na Usina de Letras: https://bit.ly/tarcisocoelho

 

Inscreva-se.

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 24.03.2021

https://www.magazinevoce.com.br/magazinegarimpotarciso/

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 6Exibido 33 vezesFale com o autor