Usina de Letras
Usina de Letras
14 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62153 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13567)

Frases (50555)

Humor (20023)

Infantil (5420)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140789)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6177)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Chico Xavier -- 08/03/2010 - 08:46 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
CHICO XAVIER

Por Dad Squarisi

Correio Braziliense - 04/03/2010

Em tempos de panetones, mensalões, descrença nas instituições, um nome ganha destaque. É Chico Xavier. No centenário de nascimento, o médium mineiro se torna protagonista de livros, filmes e documentários. Mereceu a capa da revista Época da semana. Trata-se de modismo? A história diz que não. Ele tinha 5 anos. Até então, a vida corria normal. Aí, aconteceu. A mãe desencarnou. O pai distribuiu a filharada entre os parentes. Chico parou na casa da madrinha. Lá, começou a ter visões e a receber mensagens dos espíritos. Explicar a paranormalidade? Não conseguia. Apanhava todos os dias por manter contato com as almas do outro mundo.

Tempos depois, o pai casou-se outra vez. Primeira providência: reunir a família dispersa. Juntos, costumavam passear pelas ruas da interiorana Pedro Leopoldo. Nas idas e vindas, ele descobriu a diferença entre mãe e madrasta: "A mãe anda a nosso lado. Dá-nos a mão. A madrasta vai na frente". Ao longo da vida, Chico caminhou ao lado dos semelhantes. Estendeu-lhes a mão. Consolou os aflitos. Socorreu os carentes. Seguiu, sem recuos, a lição de Jesus: ama ao próximo como a ti mesmo. Praticou o lema do espiritismo: fora da caridade não há salvação.

Manteve a porta sempre aberta. Por ela passaram mães desesperadas. Glória Perez andou por lá. Buscava consolo para a tragédia que lhe roubara a única filha. Mulheres sofredoras chegavam a qualquer hora. Maria, Luíza, Joana, todas eram acolhidas com imenso amor. Pais desempregados, sem saber como matar a fome dos filhos, voltavam com pão, leite, arroz, feijão. Viciados, bêbados, prostitutas encontravam abrigo e consolo.

O mundo artístico e político conhecia o endereço. Roberto Carlos foi atrás da resposta para a perda da mulher amada. Mário Covas e dona Lila receberam mensagem da filha que partiu na frente. JK não arredava pé de Uberaba. Itamar Franco condecorou o médium com a Medalha da Inconfidência. Augusto César Vannucci inspirou-se em psicografia de Chico e Divaldo Franco para encenar a peça Além da Vida. A todos Chico tratava como irmãos. Sem vassalagem ou privilégios.


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui