Usina de Letras
Usina de Letras
14 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62410 )

Cartas ( 21335)

Contos (13272)

Cordel (10452)

Cronicas (22546)

Discursos (3240)

Ensaios - (10450)

Erótico (13578)

Frases (50803)

Humor (20074)

Infantil (5487)

Infanto Juvenil (4811)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1377)

Poesias (140872)

Redação (3320)

Roteiro de Filme ou Novela (1064)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1962)

Textos Religiosos/Sermões (6235)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->Dedo no gatilho -- 20/12/2022 - 23:08 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Dedo no gatilho...

 

 

 

Seu Liminha era incansável quando se atirava numa campanha eleitoral. E sabia como convencer o eleitorado, sobretudo o da zona rural - que naqueles anos cinquenta era a maioria. E não sem razão, por duas vezes alcançou a suprema magistratura municipal da Velha Serrana cidade mais antiga do centro oeste mineiro.

 

Mas havia mais, além dos votos, conquistados. Promessas de recompensa feitas em confidência e garantia absoluta da reserva e discrição. E aqueles olhinhos azuis sabiam ser ternos, principalmente quando era a do lar que o atendia, na ausência ou distanciamento físico do marido, via-de-regra envolvido com as diuturnas lidas do campo.

 

Um belo dia, já com o avançado cair da tarde, enquanto se desincumbia de suas de suas funções viris e virais, sêo Liminha pressentiu que vigorosas batidas à porta, e gritaria, indicavam a chegada antecipada e inesperada do titular do pedaço...

Sêo Liminha não hesitou: num salto acrobático da cama saltou e pela janela foi que vazou... e quando a luz de uma lanterna o alcançou, foi sua absoluta e dissoluta nudez que se escancarou...

 

Porém, o compadre da vez, de cartucheira em punho quando naquele lusco-fusco o reconheceu, a sentença de execução sumária súbito se suspendeu:

 

- Uai, sô Prefeito, é o sinhô...e óia qui eu já tava com o dedo no gatio, mai num amiúde não...

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 9Exibido 98 vezesFale com o autor