Usina de Letras
Usina de Letras
22 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->Cinamomo duro na queda -- 10/05/2023 - 09:30 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Cinamomo em flor e fruto.
 
 


Cinamomo duro na queda

 

Félix Maier

 

Havia um cinamomo, também conhecido como ácute;rvore santa, plantado no quintal de uma casa antiga em um bairro residencial. Os moradores daquela casa sempre acreditaram na crendice popular de que essa ácute;rvore tinha uma simpatia para curar a alergia asmácute;tica. Para isso, bastava fincar um prego em sua casca, equivalente à altura da cabeça do doente. Eles contavam a história de um parente que sofria com essa doença e foi curado após cravar um prego no cinamomo. Quando a ácute;rvore morresse ou secasse, a doença desapareceria. 

Assim, quando o dono da casa antiga passou a sofrer de alergia asmácute;tica, não teve dúvidas e tratou de logo fincar um prego no cinamomo, à altura de sua cabeça.

Anos se passaram e a ácute;rvore santa continuou a crescer, sempre verde e florescendo a cada primavera, com flores lilácute;s-róseas perfumadas, que se transformavam em frutos ovoides marrom-amarelados, do tipo drupa. Depois de vácute;rios anos, o prego jácute; se havia perdido no interior do tronco. Namorados se deitavam na grama sob sua sombra, se beijavam, se amavam e brincavam de atirar bolinhas do cinamomo um no outro. A ácute;rvore se tornou parte da vida daquela casa e de seus moradores.

Mas o tempo passa, e as coisas mudam. A pessoa que sofria de asma e fincou o prego no cinamomo ficou velha e morreu, e nunca conseguiu se curar da doença. Mesmo assim, a ácute;rvore continuou a crescer, resistente e forte. As pessoas ainda acreditavam na crendice popular, mas o cinamomo nunca morria.

Até que um dia, um raio atingiu a ácute;rvore, secando-a completamente. Os moradores da casa ficaram tristes, pois perderam uma ácute;rvore tão especial. Eles decidiram cortar o tronco com motosserra, mas a corrente de metal do sabre da mácute;quina quebrou quando encontrou o velho prego. O cinamomo, que resistiu a tantas intempéries, finalmente se vingou do prego que o havia torturado por toda a vida.

As pessoas da casa ficaram surpresas e começaram a rir. Aquele cinamomo sempre foi uma ácute;rvore muito especial, e agora, mesmo morto, ele ainda tinha uma última lição a ensinar. 

A ácute;rvore santa mostrou que, mesmo que as coisas pareçam difíceis e impossíveis, é possível resistir e vencer. E que, às vezes, é preciso uma pequena revanche para se sentir melhor. 

A história do cinamomo continuaria a ser contada por muitas gerações, lembrando-nos da importância de acreditar em nós mesmos e dar mais valor à ciência do que a crendices, e nos defendermos com inteligência daqueles que nos fazem mal. 

Moral da estória: você pode ter muita simpatia por uma simpatia, mas a simpatia nem sempre tem muita simpatia por você.

 

Cinamomo em flor.

 

 

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui