Usina de Letras
Usina de Letras
44 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60374 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9719)

Erótico (13520)

Frases (48266)

Humor (19559)

Infantil (4832)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139383)

Redação (3120)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5813)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->O LOBO E A SUA COMIDA -- 11/01/2011 - 21:39 (Alberto Batista) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

O LOBO E A SUA COMIDA

O lobo talvez seja o representante dos homens que essencialmente procuram sua comida, para exemplifica a simbologia animal do homem humano (macho). Agarram primeiramente sua presa (mulher) jogam na cama, após isso fode, fode, e fodem até o ouvido se puder, e no final cospem sem parar, e só depois pergunta qual o nome da individua que possuiu. Depois disso, elas fingem que não gostaram, mas é obvio que gostaram de ser possuída com força, com domínio excessivo.
Essa é uma historia de romantismo, não é que não deva existir, e nem tão pouco o homem não possa exercer tal função, apenas possuir sua a mulher primeiramente e depois ser humano com ela. Assim... Por si só elas não te largaram, quem disse que homem só pensa em sexo, pode pensar constantemente, mas quem gosta de praticar estupidamente são as mulheres.
O amor nessa hora fica de lado... De lado da cama... E só depois retomam seu posto de amor incondicional, não deixamos de amar as mulheres, apenas sentimos um pouco de animal na nossa carne nervosa que estava atrás de sua comida selvagem. Que disse minutos atrás... Que não gosta de homens brutos ou cafajestes ou coisa assim parecida. O homem lobo que não gosta de escuta NÃO, já tinha olhado sua presa para o jantar, já sabia até a resposta da mulher, mas, contudo, já tinha pensado numa estratégia para fincar seus dentes e ataca-la fervorosamente.
Após comer, possuir, cuspir e dizer coisa animalesca, vem à surpresa da noite e de sua presa, voltamos ao racional, e começamos a discutir política, religião e futebol. Sendo que isso basta na alta e baixa classe social a diferença de tudo isso é o capitalismo das classes, mas a fome é a mesma e o amor também.

ALBERTO BATISTA
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui