Usina de Letras
Usina de Letras
254 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62152 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13567)

Frases (50555)

Humor (20023)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140788)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6177)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->A desconstrução de uma sórdida fraude política -- 07/01/2013 - 12:48 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

A DESCONSTRUÇÃO DE UMA SÓRDIDA FRAUDE POLÍTICA 

 Geraldo Almendra

As burguesias e oligarquias públicas e privadas são as maiores responsáveis pela ascensão e tomada do poder por um partido absolutamente degenerado e liderado por um mafioso da política prostituída, uma verdadeira fraude de ser humano.

 As quadrilhas do PT e seus cúmplices estão fora de controle emocional pelo fato da sociedade já ter percebido a sordidez do projeto de poder do Retirante Pinóquio e, principalmente, ter recentemente creditado às Forças Armadas sua maior confiança, e aos políticos sua maior rejeição.

Os pulhas corruptos e subornadores já perceberam que se as Forças Armadas saírem das casernas para destituir o poder público mais corrupto da história do país terão aceitação majoritária da sociedade.

Diante desse cenário os quadrilheiros partiram para o tudo ou nada – já perderam a imagem de resgatadores da ética e da moralidade transformando-se diante da opinião pública em bandidos, corruptos e subornadores – e estão cada vez mais valentes, afoitos, desaforados e sem limites de ofensa ou provocações aos que não pactuam mais com a degeneração moral que afunda o país na podridão da prostituição da política.

A posse como deputado federal de um condenado à prisão pelo STF e o recente auto sequestro de uma vereadora do PT por motivações político-corporativistas demostram, claramente, até que ponto pode chegar a luta desse partido sórdido para preservar o seu projeto de poder fascista diante da crescente rejeição social que começa a ficar cansada de ser subornada por bolsas qualquer coisa e com o país já se apresentando como o mais corrupto do mundo ocidental.

Os corruptos e subornadores que fizeram do poder público um Covil de Bandidos estão cada vez mais bandidos, valentes, desaforados e sem limites, atacando o STF e a banda boa da Justiça – quem não vestiu a camisa de lacaio do poder Executivo –, a oposição, apesar de sua postura majoritária absolutamente covarde e aliada no submundo das alianças com o PT, e a mídia não vendida às verbas de propaganda e aos empréstimos do BNDES.

Ao longo dos desgovernos civis o Brasil tem sido o laboratório de um novo capitalismo, não uma forma alternativa de capitalismo empreendedor – depois do fracasso do neoliberalismo da esquerda tupiniquim de FHC –  que premia o mérito dos investem, e dos que trabalham e estudam com dignidade e honestidade, mas sim um "capitalismo de estado" regido pela degeneração das relações públicas e privadas, tendo como fundamentos a corrupção, o suborno, o peculato e a prevaricação dentro do poder público, sistema esse que nas gestões presidenciais do PT, com o suporte de seus cúmplices esclarecidos canalhas, assumiu o caráter de um projeto de poder de uma esquerda fascista, já reconhecido pela mídia internacional.

Essa tem sido a mais relevante “contribuição” para o país da Fraude da Abertura Democrática, que trouxe a liberdade de expressão         condicionada à tácita e pacífica aceitação da transformação das relações público-privadas em relações infiltradas por bandidos, corruptos e subornadores, todos com “inteligências múltiplas” voltadas para a prática do ilícito moral e ético, ou seja para a prática do crime.

Qualquer contribuinte minimamente esclarecido ao se olhar no espelho todos os dias deveria perguntar para sua imagem: - porque, apesar de escândalos denunciados quase diariamente, eu continuo apoiando um projeto de poder fascista que vai destruir o futuro dos meus filhos e de suas famílias, que somente terão duas opções para suas vidas, ou serem bolsistas-escravos de um Estado Fascista, serem bandidos comuns por falta de opção, ou aceitarem assumir o papel de omissos-cúmplices, ou corruptos aliados dos ladrões do dinheiro público?

Justificar a permanência no poder de corruptos e subornadores pelo fato de suas administrações terem proporcionado alguma melhoria econômica-social no país é a negação coletiva da honestidade, da dignidade, e da honra como fundamentos de formação de uma sociedade regida por sólidos princípios de justiça e integridade moral.

É como se um novo fundamento de aceitação popular de desgovernos já tivesse impregnado no ideário de sobrevivência do cidadão comum: “me dê uma bolsa qualquer coisa, um acesso racista à educação superior, ou um emprego, que eu aceito, como observador e como cúmplice, que o país seja governado por políticos subornadores e corruptos” e que morram mais de 150 pessoas por dia vítimas do roubo do dinheiro público.

A justificativa do já tradicional aceite da corrupção em função das “realizações de governo” dos corruptos é negar peremptoriamente os princípios que norteiam a aplicação dos códigos legais subordinados a uma Constituição que não tem no seu texto um artigo que autorize o roubo conforme os motivos - os fins justificam os meios - nem relativize o conceito de Justiça, mesmo sendo uma colcha de retalhos de uma proposta de fundamentos para uma nova democracia após o Regime Militar.

Enquanto a Comissão da Mentira faz o serviço sujo de tentar desqualificar e humilhar as Forças Armadas, o Brasil assiste a desconstrução da falsa imagem de um calhorda, mito da política e líder de um projeto de poder fascista, ao mesmo tempo que pesquisas demonstram que as Forças Armadas estão em primeiro lugar na confiança da sociedade e os políticos em último lugar como já enfatizado acima.

A pergunta que cabe diante do apodrecimento da República é por que os que tem a total confiança da sociedade – as Forças Armadas – continuam sendo perseguidos e humilhados pelos canalhas do PT e os corruptos e subornadores ainda controlam o poder público e o país, gozando de impunidade parcial ou total diante de tantos crimes? Será que Freud explica esse comportamento tão covarde e omisso de nossa sociedade? O desespero do PT nos traz a esperança de que os bandidos e subornadores estão com seus dias contados antes de serem presos, incluindo o verdadeiro chefe do Mensalão.

O PT somente não teve ainda criminalmente desqualificado seu projeto de poder porque centenas de canalhas esclarecidos que pertencem ao meio acadêmico, ao meio empresarial, ao meio artístico e ao meio do jornalismo marrom - muitos regiamente premiados com indenizações e pensões vitalícias - , ainda praticam diariamente a roleta russa da destruição do país para roubarem cada vez mais, deixando o último apagar a luz dos nossos sonhos de democracia e de uma verdadeira justiça social, que ofereça oportunidades de educação e cultura para todos, mas que não carregue no colo aqueles que optaram pela vagabundagem ou pela titularidade ou cumplicidade da corrupção e do suborno.

Os mais de cem escândalos denunciados durante os desgovernos Lula e do desgoverno Dilma, majoritariamente impunes em consequência da degeneração e da relativização da Justiça, provam, pelo peso das denúncias, de forma inconteste, que aqueles que se denominavam caçadores de picaretas dentro do Parlamento não passam de picaretas muito maiores, pois sem punir os picaretas antigos, os tornaram seus aliados e fizeram do poder público um Covil de Bandidos e do país um Paraíso de Patifes.

Apesar do jogo de cena do STF para dar uma mínima satisfação à sociedade no julgamento da gang dos 40, depois de cinco anos sendo empurrado com a barriga, a condenação do núcleo político no papel – ninguém vai para a cadeia à exceção do núcleo nãopolítico, ou seja, os bois de piranha – defraudou para a sociedade a rigorosa negação da integridade do caráter da construção da pirâmide política petista, transformada em uma máfia da corrupção e do suborno que domina o poder público nas suas diversas esferas, quase todas já aparelhadas pelo PT e pela base aliada.

Uma das mais recentes denúncias que trouxe a público o caso extraconjugal do ex-presidente Lula com uma secretária da presidência, uma bandida com direito a dezenas de viagens internacionais na comitiva do presidente e ainda com o direito de passaporte e mala diplomática, extinguiu qualquer resquício de integridade moral que poderia existir no comportamento do Retirante Pinóquio, já denunciado como o verdadeiro chefe do Mensalão.

Esse sujeito não passa de um bandido da política que se valeu de estelionatos eleitorais e do DNA do ilícito impregnado no caráter de centenas de canalhas esclarecidos para chegar ao poder e se reeleger com a ajuda de outra fraude da política, FHC.

O PT somente não foi descredenciado pela Justiça Eleitoral e o ex-presidente Lula ainda não sentou no banco dos réus porque o poder Judiciário, aparelhado pelo PT, ainda insiste em se comportar como lacaio do poder Executivo, com togados bandidos ou vestido de bandidos fazendo a blindagem de centenas de canalhas da corrupção para que os mesmos não sejam presos.

Muito mais grave do que a desconstrução de uma mentira chamada Lula, tem sido a sistemática comprovação do comportamento dos canalhas esclarecidos que, apesar de terem condições de fazer corretos juízos de valor, se “deixaram” encantar pela sereia da corrupção petista, aceitando serem cúmplices ativos ou passivos do projeto de poder do PT tendo como recompensa acesso a inúmeras formas imorais e ilícitas de faturar em cima da majoritária ignorância da sociedade e da degeneração moral do poder público.

Está chegando a hora do PT e sua base aliada acertarem suas contas com a Justiça e com os milhões de eleitores enganados pelos seus estelionatos eleitorais.

No momento em que a sociedade já percebeu que o poder público virou um covil de bandidos, as Forças Armadas, em respeito às suas responsabilidades constitucionais de garantir a soberania do país, não têm mais escolha: ou justificam a total confiança da sociedade não mais se omitindo na sua capacidade de limpar o poder público dos bandidos, ou se unem a eles, deixando que o projeto de poder fascista comece, em breve, construir as covas coletivas para enterrar os inimigos do PT, ficando claro que o silêncio e a omissão da caserna diante do absoluto apodrecimento do Parlamento, covarde e lacaio do poder Executivo, será entendido como da entrega do país nas mãos dos corruptos e subornadores de forma definitiva, sem serem expostos em nenhum momento aos tiros daqueles que têm a responsabilidade maior de não permitir que o Brasil se torne uma Cuba Continental Fascista com profunda inspiração no modelo de "democracia" da Venezuela, que segundo o Retirante Pinóquio é uma "perfeita democracia".


 
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui