Usina de Letras
Usina de Letras
63 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60285 )

Cartas ( 21285)

Contos (13379)

Cordel (10352)

Cronicas (22252)

Discursos (3187)

Ensaios - (9687)

Erótico (13520)

Frases (48080)

Humor (19493)

Infantil (4787)

Infanto Juvenil (4142)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1344)

Poesias (139180)

Redação (3100)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5773)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Crónica de Cingapura III -- 27/08/2013 - 02:26 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

dezembro/2001 Conselheiro Paulo Wangner Miranda - Vinte e cinco milhões de dólares é o quanto

se oferece pela cabeça de bin Laden. Não se sabe se colada ou separada do corpo. Mas que é uma fortuna, isso

não se disputa. E de pensar que há pouco menos de dois milênios a cabeça de um Cristo, com iluminado halo,

e cabelo apenas um pouco mais ralo, custou a bagatela de 30 dinheiros. Será o galope inflacionário, ou a

expressão ainda não está no dicionário? Não adianta recorrer a ajudas ou a Judas. Se vivo estivesse e da oferta

por Ossama soubesse, o discípulo rebelde voltaria a dedurar e em seguida a se enforcar. Só não se sabe se o

próprio pescoço ou o alheio. Acorda? Não é a toa que o Taliban-mor, homem de negócios esclarecido já teria

ao filho ordenado que se tornar iminente a sua captura, que o liquide ele próprio e embolse o dinheiro da

recompensa. Extinta a chama, o que sobrasse seria só aquela ossama. Sem querer comparar doutrinas ou

sinas ou me confessar, confidente, que sou de Minas, é bom que se esclareça que cabeça por cabeça Ossama

tem certas vantagens: tem barba mais longa, olhar mais fusilante e muito, muito mais turbante - apesar das

quatro esposas que lhe permite o Corão. Demais, parece-se com o Caetano, o genial baiano. Enquanto o

Nazareno, manso, cordato e ameno, contenta-se em pregar a paz, curar enfermos, caminhar sobre as águas,

pescar homens e empolgar audiências, mais que um Sílvio Santos e um Faustão, juntos num domingão.

Entretanto, tem também a sua, ainda que rara, dose de agitação. Quem é que não se lembra de sua luta contra

os vendilhões do templo, de chicote em punho, ameaçador? É assim que com ele sonham Maria Madalena, as

santas mulheres em baixo do chador opressor. E a vaga não foi pro brejo. Pois é, justamente na derradeira

rodada do torneio classificatório para a copa do mundo de futebol enchemo-nos de brio e malhando o ferro a

frio ganhamos de 3 a 0 da valorosa equipe da República Bolivariana de Venezuela, que ameaçava se

converter em potência futebolística da América do Sul. Depois de tanto sufoco ao longo de 18 partidas,

demos o troco e podíamos ali em São Luís do Maranhão, enfim, respirar aliviados. Tava garantida a ida à

copa. E tudo sob o olhar oblíquo e cigano de Capitu da Governadora que, de supetão, se converteu em musa

da sucessão. Apesar do Felipão, da Confederação e do Ricardão, de leão coração. Sem Romário no pareo dá

pra encarar, ou pensam que a sério nos hão de levar? Ou será procurar mais sarney pra se coçar? No frigir

dos ovos, acabamos nos classificando em terceiro lugar, saltando o Paraguai, a um ponto do poderoso

Equador, e a anos luz da Argentina. Que sina. Mas a sorte é que Maradona ya no está más allá. Destroçou o

Brasil em 90 e agora se despediu do futebol em festa que empolgou a nação de Evita e Gardel ontem, e de

Cavallo hoje. E levou consigo de vez a camisa dez da albiceleste. Nunca mais essa camisa há de cobrir um

torso portenho. Não é a toa que o apelo aos descamisados, de Perón a Menem, parece não ter fim. E é bom

que Diego tenha levado a sua consigo. Não consigo imaginá-lo descamisado em pleno estádio. Humpty

Dumpty não deve ser confundido com o futebol. Dieguito está un huevito. A meninada se reuniu pra seleção

de modelos. Em São Paulo somente, cerca de dez mil candidatas se apresentaram. Cada uma mais bonita,

mais catita, nessa terra de Maluf e Celso Pitta. Mas as vagas eram sete tão somente. Há quem aguente? Uma

das candidatas protestou e ao mundo os seios - não siliconados - mostrou. Foi o quanto bastou. Taí o bom de

ser mulher, melhor, e saber a oportunidade agarrar. Virou superstar. E não há de se contestar. Teve peito - que

outro jeito - de ao mundo se revelar. Bem sei-o. E nem as torres gêmeas, quando ainda existiam, para com

aquela firmeza e dolcezza se comparar. O interessante é que com a turba excitada a polícia não tenha baixado

o pau. Pelo contrário. Tampouco precisava matar a cobra. Prima já era a obra, de sobra. Falar em beleza, deu

Nigéria no Miss Mundo. Ninguém mais aguenta ouvir falar, mas tá lá na tv e todo mundo vê. Fazer o quê? E

vem a lembrança retroativa de quase cinquenta anos quando por duas polegadas apenas nossa Marta - por

sinal bem farta - deixou de empalmar a coroa. Talvez com um acerto no inglês e um bom aperto nos porquês,

teria contornado a situação, por que não? Afinal duas polegadas a mais não deixam de empolgar, seja na

frente, dos lados, ou atrás. Demais, era nos quadris, coisa que a galera hoje estaria a pedir bis. Saiu o Nobel e,

descontados os ganhos cativos, da medicina, física e química, que vão sempre pros EUA ou um país do norte,

na paz e literatura, há, volta e meia, algo que conforte. E pelo jeito vamos esquentando. Já deu México,

Colômbia e Chile, Argentina, e agora, em literatura, sai o prêmio para Trinidad and Tobago, na pessoa do S

R Naipaul, escritor de origem indiana que vive em Londres. Ah, se o Paulo Coelho escrevesse em inglês.

Teria vez? Lutei pra ler o seu Alquimista. Em francês(mais barata do que em português), um luxo, pra lidar

com um bruxo. Mas o meu favorito é ainda o do Cosme Velho, afiado Machado. E a humilde privada

ganha projeção, merecida e há muito devida. Tudo graças a um Mr Sim, de Cingapura, que deve ter muita

bossa na cabeça para fazer que por aqui aconteça o First Toilet Summit, que reuniu empresários ligados ao

setor, de vários países, e o Ministro do Meio Ambiente para abrir os trabalhos. Convidado a participar, tive a

oportunidade de muita anatomia experimentar. Extrovertido, o Senhor Sim lança o seu decálogo, de que

destaco u`a máxima: o homem leva em média 30 segundos no mictório e a mulher 90. Ufa, já é a segunda

tarefa em que somos mais expeditos. Tenho dito. A todos um Natal bendito. Jingle bells.

Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 26Exibido 190 vezesFale com o autor