Usina de Letras
Usina de Letras
71 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60285 )

Cartas ( 21285)

Contos (13379)

Cordel (10352)

Cronicas (22252)

Discursos (3187)

Ensaios - (9687)

Erótico (13520)

Frases (48080)

Humor (19493)

Infantil (4787)

Infanto Juvenil (4142)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1344)

Poesias (139180)

Redação (3100)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5773)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Glicerina -- 07/11/2013 - 12:06 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
De tão musical que nascera e logo que no trombone a boca botou, o Glicério saiu do

sério. Era músico, artista, aceito em qualquer roda, dançante em qualquer pista. Adeus

deu para o maçante trabalho dos teares e, farrista, saiu a procura de nuevos y buenos

aires.

Se te disser que chegou à Argentina, acredita, pois de Evita aquela terra não se evita.

E vai ver que graça achou, se enamorou e, por pouco não se amarrou. Pode ser que

tenha ficado só nesse Brasil - ...sem fronteiras, sem paredes..., como afirma o poeta

Djalma Andrade - mas a sua música ultrapassou fronteiras da nação e da imaginação,

de tão batuta que foi seu tocar.

Mas a fama não deu sossego ao nego: agradando a troiano e grego, pelas `brahma` é

que foi pego. Entregue à boemia, abandonou-o, enciumada, a sinfonia. E o beber fez a

noite virar dia e do círculo vicioso e de vício só já o Glicério não saia.

Rezas, benzeções, promessas da família para que o moço se endireitasse acumulavam-
se nas escrivaninhas e nos despachos dos Santos, que eram tantos e aos prantos, mas

dele desistir da caneca, neca.

Até que ao cabo de muita humilhação, veio o estalo, a curá-lo. E a música, ao

abandoná-lo, foi pelo ralo. Para a recordação abafar, à barulheira dos teares foi-se

entregar.
Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 26Exibido 98 vezesFale com o autor