Usina de Letras
Usina de Letras
71 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60362 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3193)

Ensaios - (9714)

Erótico (13520)

Frases (48249)

Humor (19550)

Infantil (4828)

Infanto Juvenil (4178)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139358)

Redação (3118)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->Um lado que desconhecemos -- 29/09/2003 - 14:45 (Augusto Luciano Meyer) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Um lado que desconhecemos





O ser humano cada vez mais procura dar vazão ao seu instinto natural através de atividades que fogem ao padrão estabelecido pela sociedade contemporânea. Torna-se comum a prática de esportes radicais e outras atividades equivalentes, dando ao lado humano sua porção incomum hoje em dia: a animalidade extinta que o caracterizou séculos atrás. Como explicar o porquê de tais atitudes tão freqüentes. Por que a geração mais nova – ou até mesmo pessoas de 30 anos se submetem e são levados a praticar essas atividades?

Uma idéia se torna plausível e relevante quando se atenta para o fato dessas pessoas estarem presas a um sistema de combinações irremediáveis: sociedade contemporânea fechada para acontecimentos e atitudes novas, medo e constrangimento na hipótese de falhar – no que diz respeito a regras e convenções da sociedade moderna –, e o medo de perder a própria vida.

O ser humano tornou-se debilitado com todos os aparatos e tecnologias de que dispõe, e a evolução o fez homem-computadorizado – ou homem-tecnológico, no sentido mais amplo da palavra tecnologia – ele pertence e depende deste mundo de parafernálias e vice-versa.

Este nosso lado que desconhecemos a ponto de revelar-se, em última análise, no momento culminante que nos faz experimentar e sentir prazer e realização transforma-se num paradigma que estes atletas do acaso, por certo, enfrentam rotineiramente: é o caso de prazer e satisfação pessoal aliado ao perigo constante e risco de vida.

Resta acreditar que nós, seres humanos, estamos fazendo a coisa certa. Aliás, nem sempre percebemos o errado, só quando perigosamente somos envolvidos por uma aura de incerteza, mas é tarde para voltarmos atrás. Alguns conseguem se sobressair com extrema desenvoltura, outros não se atrevem tentar. Essa idéia de oposição, no entanto, é o que faz equilibrar os pratos da balança vital.



Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui