Usina de Letras
Usina de Letras
70 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59663 )

Cartas ( 21255)

Contos (13325)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3170)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47209)

Humor (19420)

Infantil (4621)

Infanto Juvenil (3937)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138768)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Cabra da peste -- 06/12/2001 - 19:53 (Antônio Pedemesa Tripé) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Estava tão tristonho quando tudo aconteceu

O peido ia saindo

Essa dor me fudeu

Meus amigos falam que peido demais

Não é o peido alto que me satisfaz

É sim o peido baixo que me satisfaz...

E é o peido alto que fede demais

Hoje eu só comi o que o doutor mandou

E foi o dia inteiro sem fazer cocô

Me diz o que eu faço pro meu cu desentupir

Lacto purga, lavagem, de tudo um pouco eu fiz

Tu sabes, não desisto

Sou cabra da peste

Apesar de comer as batatas da terra

Com esse peido podre, vou até pra guerra

Ai, que dor! Meu cu arrombou!



Autor: Tonhão Tripé
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui