Usina de Letras
Usina de Letras
57 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59672 )

Cartas ( 21255)

Contos (13337)

Cordel (10321)

Crônicas (22226)

Discursos (3170)

Ensaios - (9538)

Erótico (13486)

Frases (47223)

Humor (19422)

Infantil (4629)

Infanto Juvenil (3942)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138794)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5662)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Textos_Religiosos-->Solidariedade -- 11/07/2005 - 13:11 (Antonio Jose Laurindo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Quando eu ainda era um garoto e não entendia muito das coisas eu ficava imaginando porque eu não tinha um calçado para ir a escola, enquanto que meus amiguinhos todos tinham, eu também me indagava e perguntava a meus pais porque naquelas manhãs de inverno eu tinha que ir para a escola, caminhar quilômetros a pé, descalço e sem um agasalho, sendo que meus amiguinhos todos dispunham daqueles acessórios, eu também não entendia porque todos os dias mesmo chegando tarde da escola eu ainda tinha que ir para a lavoura ajudar na lida. O tempo foi passando e quando no ultimo ano de meu Grupo Escolar, descobri algo chamado solidariedade, minha professora talvez sentindo todo aquele meu esforço em cumprir aquela jornada escolar mesmo com tanto sacrifício resolveu me presentear com meu primeiro sapato. Aquele presente marcou para sempre a minha vida, daquele dia em diante pude compreender o porque eu não podia ter o que os meus amiguinhos tinham, pude distinguir a diferença de poder aquisitivo entre as pessoas e daquele dia em diante nunca mais questionei meus pais, do porque eu não poderia ter o que os meus amiguinhos tinham, pude perceber naquele dia que a minha mudança de vida dependeria de mim, do meu esforço, de minha dedicação, de minha obediência à educação que meus pais me davam e principalmente de meu trabalho. Passei a entender que existia dentro de mim uma força incontrolável, que certamente não era gerada somente pelo meu físico, ou pela minha capacidade de inteligência, meu físico não poderia mesmo ser, pois era um garoto raquítico mas provido de muita saúde e vontade, inteligência esta sim eu tinha consciência de que era uma companheira inseparável, fui à luta freqüentei a escola enquanto tive força e vontade, trabalhei de sol a sol, para nunca mais ter que andar descalço naqueles invernos rigorosos e castigante, consegui me especializar e ter uma profissão graças ao meu esforço e dedicação, hoje tenho a certeza que toda aquela força que me moveu a enfrentar tantos percalços não veio somente do meu físico e da minha mente, ela me foi dada graciosamente por um Ser maior e soberano que sempre nos protege e nos ampara. Meu Deus, é ele que nos fornece o combustível para nunca cair ao longo do caminho, é ele que nos ilumina quando estamos perdidos nas trevas, que nos conforta quando sentimos qualquer tipo de dores, físicas e espirituais, é ele que nos alimenta mesmo quando não temos um prato de comida e é ele que nos da inspiração para levarmos conforto e solidariedade aos nossos irmãos, como aquela professora que me calçou meu primeiro sapato. Jamais fique sentado a beira do caminho esperando a sorte passar.
Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 18Exibido 1637 vezesFale com o autor