Usina de Letras
Usina de Letras
22 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62480 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10471)
Erótico (13578)
Frases (50867)
Humor (20083)
Infantil (5501)
Infanto Juvenil (4822)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140912)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->DERRADEIRA MENSAGEM DO ANO 1999 RUMO AO ANus 2000 -- 02/08/2001 - 20:32 (Armando A. Barraca) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Passar de um ano para outro é corriqueiro. Todos os anos fazemos isso, com a maior naturalidade.

É verdade que o reveillon sempre representou para o homem uma celebração fora do comum, logo após o Natal, data máxima da cristandade.

A euforia toma conta dos homens. Embebedam-se todos da alegria contagiante e transmitem-na uns aos outros, dando-se as mãos e desejando-se o melhor para o novo ano que está prestes assumir o lugar que lhe cabe.

A cachaça e o chamapanhe~semeam os frutos de milhares de casais. Mulherews horríveis conseguem ter seus filhos graças ao reveillon.

Entretanto, este reveillon é totalmente diferente de todos os outros que as gerações do último milênio têm vivido. Afinal, são dois mil anos de uma nova era que se instalou com uma nova mensagem que os homens receberam.

É a vinda de um novo século e de um novo milênio, com tantas novidades jamais vividas por qualquer geração anterior ou por qualquer outra civilização.

É aí que surge o nosso herói, destemido guerreiro Popi que, trazido por uma dinamarqueza para o Rio de Janeiro, marcará seu anus 2000!

A tribo de Popi sempre cultivou o estranho hábito de fazer sexo anal, apenas. Talvez tenha sido oque agradou a dinamarqueza... Branca e manchada como um queijo velho.

Da tribo do Papacú, Popi odeia os índios da tribo papalagüí(loucos) e os da tribo papalingüíça, que têm vários adeptos na nova civilização, esta da tecnológica e cibernética. Quiçá também a civilização transgênica.



Não obstante, é preciso que o homem faça a verdadeira revolução, para atingir a civilização do espírito, quando então terá alcançado a plenitude.



Popi passou o reveillon em sua padaria ouvindo funk. Papacú que é papacú curte o bonde do tigrão e come rosquinha de todos os tipos

Não importa que nem todos comemorem nesta data um raiar de um novo ano.

Não importa que muitas sejam as nações.

Não importa que os homens não falem a mesma língua.

Não importa que os homens estejam em lugares distantes e diversos.

O importante para Popi, o papacú, era o número 2000. Enquanto todos aguardam o amanhecer de um novo mundo, Popi aguardava mocréinha, a boneca mais horrível do morro. Todos aguardam o resplandecer de uma nova esperança. MAs Popi não, ele sabe que boneca é foda, mas foi só oque ele arrumou para a passagem do ano.



Na aliança entre as gerações passadas e futuras, os papacú têm de comer a rosca mais suja que encontrarem, e sem dúvida mocreínha era a pior.





Pena que o progresso espiritual e moral não tenha acompanhado o progresso material e científico. Mas, na verdade, acredito que o homem desbaste a pedra bruta e ainda se regozijará com seus irmãos, porque não distingo entre os seres humanos. Somos todos irmãos e iguais, provindos do mesmo pai, porque Deus é um só e um só o homem. Não há deuses. Há Deus. Não há homens. Há homem, Popi enrrabou a traveca como uma mula com um carrapato no troço.



Fácil é concluir-se que a essência das coisas é a mesma em todas as religiões e consciências, não importa o tempo, nem o espaço, variando apenas a forma e os caminhos do percurso, convolando o pensamento de que Deus é um, ou a pluralidade na unidade – essa Energia infinita e desconhecida, mas presente em tudo, a erenrgia que tomou o corpo do índio Popi.





Assim a visão holística do universo tornou-se larga como o "olho" da boneca.Assim o mundo em que vivemos emanará paixão e cheiro de rosca queimada.



Popi o papacú ligou passado, presente e futuro.

E viverá por toda a eternidade pelo infinito voando e comendo rosquinhas.



FELIZ ANus NOVO

FELIZ CAMINHADA DO SÉu CULO XX PARA O SÉu CULO XXI.

FELIZ CAMINHADA PARA O NOVO MILÊNIO.

1999 - 2000 rosquinha

Popi, o comedor inveterado continuará vagando , e daqui a alguns minutos, celebrando o novo culo de Popi. O culo XXI poderá ser o séuculo da era incomum, o seu!







Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui