Usina de Letras
Usina de Letras
80 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60346 )

Cartas ( 21288)

Contos (13386)

Cordel (10358)

Cronicas (22276)

Discursos (3193)

Ensaios - (9712)

Erótico (13520)

Frases (48231)

Humor (19546)

Infantil (4824)

Infanto Juvenil (4173)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139334)

Redação (3115)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5808)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Honestos e despretensiosos -- 30/12/2001 - 20:01 (Armindo Lima da Silva) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Fisicamente ser livre ou não,

A mim, pouco me importa.

O sentimento de liberdade,

Em meu espirito, porém é fundamental.

Há de existir

Sempre, sempre, e sempre!

Não tenho como ser o que sou sem isto.

É puramente uma questão

De sobrevivência

Expor o despudor da minha

Nudez cálida que me vem.

Não saberia fingir ser

O que não sou ...

Não teria como ser hipócrita

E extravasar o que não me existe,

Calar meu grito,

Nem dar o próximo passo

Com minha alma macerada.

Que jamais deixe pegadas,

Que o vento frio e insolente

Leve para o nunca

Minhas marcas ...

A única coisa que, perdendo,

Faria-me ser o que não sou

Seria não avistar meu horizonte

Nem extravasar meus sentimentos

Incoerentes, honestos e despretensiosos

Que se me esvaem.

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui